O Maranhense|Notícias do Estado do Maranhão

Obras de revitalização da Lagoa da Jansen iniciam ainda esse ano, garante senador Roberto Rocha

“Nós vamos fazer com que essas obras iniciem ainda nesse ano. Porque nós vamos iniciar agora, não é o projeto. São as obras”. Essa afirmação foi feita pelo senador Roberto Rocha, em referência ao projeto de sua autoria, de Revitalização da Lagoa da Jansen. A notícia foi dada em sua décima-primeira live “Roberto Bem Perto”, realizada nesta terça-feira, 17.

O projeto prevê a construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto na área, modernização das comportas que garantem a renovação da água da lagoa pelo mar,  dragagem do lodo acumulado no fundo da lagoa, além de investimentos em urbanização para melhorar os equipamentos de lazer para uso dos moradores de São Luís e como atrativo turístico.

A obra será executada pela Codevasf, que já concluiu os projetos necessários e entra na fase de licitação para a primeira etapa, que é a de dragagem. Acompanhando atentamente o andamento do projeto, o senador Roberto Rocha lembrou que há vários anos vem trabalhando, por meio de seu mandato, para viabilizar a revitalização da Lagoa.  

“Desde que eu assumi o mandato de senador, eu tomei como bandeira a despoluição, a revitalização ambiental da Lagoa da Jansen.  A lagoa, ela consegue ser limpa por causa da água, que sobe e desce de seis em seis horas. Não é nem uma lagoa, é uma laguna, porque tem a comunicação com o mar. 

Nós conseguimos aprovar o projeto que inclui São Luís na Codevasf, somente por isso nós fizemos o projeto básico. O Governo do Estado nunca quis fazer o projeto. Eu tentei muito, tanto pelo governo estadual, quanto pelo municipal, porque eu não sou do poder executivo, que é quem executa obras. Eu sou do poder legislativo”, pontuou o parlamentar. 

Ao detalhar o trabalho previsto no projeto, o senador Roberto Rocha destacou que há muito lixo acumulado por vários anos e que a dragagem desse acúmulo deverá ser meticulosa. Relatou valores já investidos e inovações na etapa de urbanização.

“São dois mil metros cúbicos de lixo a serem dragados, envelopados e transportados para o aterro sanitário de Rosário. Depois do lixo, tem mais de um metro de lodo, afinal, são 74 bocas de esgoto na lagoa.

Nós conseguimos, já, recursos de cerca de dez a doze milhões para fazer os projetos de revitalização ambiental. Depois será feita a parte urbanística” informou.

Roberto Rocha relatou o perigo imposto pelo descaso por que vem sofrendo a Lagoa ao longo dos anos. Afirmou que chegará o momento em ninguém poderá suportar o mal-cheiro e o acúmulo de lixo: “… aquele canal está sendo entupido, está sendo assoreado.  Basta ver a quantidade de palafitas que já tem lá. Então, aquilo, quando entupir de vez, e não tiver mais a comunicação da água do mar, vai virar um “penico que não é limpo”. De tal modo que ninguém vai conseguir morar nas redondezas. E não é só uma questão de aspecto urbanístico e paisagismo. É também problema de saúde pública” constatou o senador maranhense.