.

Hemomar segue com baixo estoque de bolsas de sangue e doação é fundamental

“A primeira vez que vi minha mãe doando sangue, eu era bem pequena e fiquei falando que um dia também iria doar. Agora, tive a oportunidade e vim”. A experiência foi da universitária Joana Daia, que doou sangue pela primeira vez, um gesto que pode salvar vidas.

De acordo com dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o estoque de bolsas de sangue no Centro de Hematologia e Hemoterapia (Hemomar) segue com nível abaixo do normal devido à grande demanda. Com a proximidade das festas de fim de ano, esse cenário deve piorar. A média de doação mensal é de 3.300 bolsas. Ainda segundo o Estado, o Hemomar coletou 39.751 bolsas de sangue de janeiro a setembro de 2022.

Valma Costa, coordenadora do núcleo de captação externa do Hemomar, explica que é através das parcerias que o Hemomar consegue aumentar o estoque de bolsas. “Sempre precisamos de sangue porque atendemos os hospitais públicos e alguns particulares que necessitam de muito sangue. Por isso, precisamos estar com o estoque significativo para atender essas pessoas. As parcerias voluntárias são essenciais”, garante.

A importância do sangue para o corpo

Todos temos uma quantidade de sangue circulante que é necessário para nossas funções vitais, como explica Rayssa Castro, professora da Faculdade de Medicina de Açailândia (Idomed Fameac), especialista em Hematologia Clínica. “O sangue é fundamental para o funcionamento dos nossos órgãos, desde o batimento cardíaco até o transporte de nutrientes para a periferia do nosso corpo, mantendo as funções do nosso organismo”, enumera.

A especialista reforça ainda que, a partir do momento que uma pessoa tem uma diminuição do volume sanguíneo, seja por um processo hemorrágico ou por outra patologia, há uma necessidade de que o sangue seja reposto. “Hoje sabemos que a doação de sangue é importantíssima para salvar vidas, especialmente para pessoas que passaram por esse processo hemorrágico ou que vão passar por cirurgias grandes. Também temos aquelas pessoas que fazem tratamentos em decorrência de doenças no sangue, como a leucemia”, relata. 

Na transfusão de sangue, a pessoa pode receber desde as hemácias, que são as células vermelhas do sangue, até as plaquetas, que são componentes celulares que nos ajudam no processo de coagulação.

Quem pode ser doador

Para se tornar um doador é necessário seguir alguns requisitos. O primeiro deles é ter idade entre 16 e 69 anos. Pessoas de 16 e 17 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis, os quais deverão assinar um documento autorizando o menor a doar. Já quem tiver entre 60 e 69 anos precisa já ter doado sangue pelo menos uma vez no Hemomar. Também é preciso pesar pelo menos 50kg e estar bem de saúde.