Grupo Mateus poderá movimentar R$ 6,2 bilhões com vendas de ações na Bolsa, a partir de outubro.

A empresa já definiu a faixa indicativa de preço para sua estreia no mercado de ações: serão vendida entre R$ 8,97 e R$ 11,66. Se sair no preço médio dessa faixa, R$ 10,32, o IPO movimentará R$ 4,1 bilhões. Desse valor, R$ 3,5 bilhões irão para o caixa da empresa, e R$ 600 milhões para o bolso dos atuais acionistas. 

De acordo com Renan Selti, da coluna Capital do diário carioca, “caso a transação saia no topo da faixa, o valor levantado será de R$ 4,6 bilhões, avaliando o Grupo Mateus em R$ 26,2 bilhões na Bolsa. Se a demanda dos investidores for mesmo aquecida e houver fôlego para vender também os lotes adicionais e suplementares de ações, o IPO movimentará até R$ 6,2 bilhões”. 

Ainda de acordo com as informações que circulam no meio empresarial, o IPO do Grupo Mateus será o maior no país desde a abertura de capital da BB Seguridade, em 2013, que movimentou R$ 11,5 bilhões em um oferta exclusivamente secundária — o dinheiro foi para o caixa do Banco do Brasil, não para a seguradora. 

Se todos os lotes forem vendidos e o IPO sair no preço máximo, a família de Ilson Mateus, fundador e presidente da empresa, colocará R$ 1,8 bilhão no bolso e entregará 23,9% do capital da companhia aos investidores. A participação do próprio Ilson Mateus cairá de 52,7% para 40,1%, mas ainda valerá R$ 10,5 bilhões na Bolsa. 

O ranking da revista Forbes estimou a fortuna total de Ilson Mateus em cerca de R$ 20 bilhões, fazendo dele o nono brasileiro mais rico.  A sua empresa chegará à Bolsa na segunda semana de outubro, em operação coordenada por XP Investimentos (líder), Bradesco BBI, BTG Pactual, Itaú BBA, BB Investimentos, Santander e Safra. 

De Serra Pelada à B3 – O empresário Ilson Mateus é descrito pelo colunista de O Globo da seguinte forma:

“O IPO do Mateus é um dos mais aguardados pelos gestores nesta movimentada temporada de ofertas. Se for bem sucedido, ele vai coroar a trajetória de um self-made man.

Órfão desde os 4 anos e criado pela avó, Ilson Mateus foi torneiro mecânico e trabalhou como ajudante no garimpo de Serra Pelada antes de fundar sua empresa, há 34 anos. Apesar de bilionário e andar de jatinho, o empresário projeta uma imagem frugal, e a imprensa local já o flagrou circulando por sua São Luís natal em carros populares.  

No ano passado, a empresa faturou R$ 9,9 bilhões e teve lucro líquido de R$ 338 milhões. O grupo tem 137 lojas físicas nas regiões Norte e Nordeste, sendo 29 atacarejos, 24 supermercados, 2 hipermercados, 66 lojas de eletroeletrônicos, 16 lojas de vizinhança e nove centros de distribuição. A operação se dá sob as bandeiras Mix Atacarejo, Supermercado Mateus, Eletro Mateus e Camiño Supermercados, além de uma plataforma de e-commerce”.

(Com informações de O Globo)

Grupo Mateus poderá movimentar R$ 6,2 bilhões com vendas de ações na Bolsa, a partir de outubro. As ofertas inicias de ações (IPO, na sigla em inglês) da empresa, segundo reportagem de O Globo, são as mais aguardadas do ano.

A empresa já definiu a faixa indicativa de preço para sua estreia no mercado de ações: serão vendida entre R$ 8,97 e R$ 11,66. Se sair no preço médio dessa faixa, R$ 10,32, o IPO movimentará R$ 4,1 bilhões. Desse valor, R$ 3,5 bilhões irão para o caixa da empresa, e R$ 600 milhões para o bolso dos atuais acionistas. 

De acordo com Renan Selti, da coluna Capital do diário carioca, “caso a transação saia no topo da faixa, o valor levantado será de R$ 4,6 bilhões, avaliando o Grupo Mateus em R$ 26,2 bilhões na Bolsa. Se a demanda dos investidores for mesmo aquecida e houver fôlego para vender também os lotes adicionais e suplementares de ações, o IPO movimentará até R$ 6,2 bilhões”. 

Ainda de acordo com as informações que circulam no meio empresarial, o IPO do Grupo Mateus será o maior no país desde a abertura de capital da BB Seguridade, em 2013, que movimentou R$ 11,5 bilhões em um oferta exclusivamente secundária — o dinheiro foi para o caixa do Banco do Brasil, não para a seguradora. 

Se todos os lotes forem vendidos e o IPO sair no preço máximo, a família de Ilson Mateus, fundador e presidente da empresa, colocará R$ 1,8 bilhão no bolso e entregará 23,9% do capital da companhia aos investidores. A participação do próprio Ilson Mateus cairá de 52,7% para 40,1%, mas ainda valerá R$ 10,5 bilhões na Bolsa. 

O ranking da revista Forbes estimou a fortuna total de Ilson Mateus em cerca de R$ 20 bilhões, fazendo dele o nono brasileiro mais rico.  A sua empresa chegará à Bolsa na segunda semana de outubro, em operação coordenada por XP Investimentos (líder), Bradesco BBI, BTG Pactual, Itaú BBA, BB Investimentos, Santander e Safra. 

De Serra Pelada à B3 – O empresário Ilson Mateus é descrito pelo colunista de O Globo da seguinte forma:

“O IPO do Mateus é um dos mais aguardados pelos gestores nesta movimentada temporada de ofertas. Se for bem sucedido, ele vai coroar a trajetória de um self-made man.

Órfão desde os 4 anos e criado pela avó, Ilson Mateus foi torneiro mecânico e trabalhou como ajudante no garimpo de Serra Pelada antes de fundar sua empresa, há 34 anos. Apesar de bilionário e andar de jatinho, o empresário projeta uma imagem frugal, e a imprensa local já o flagrou circulando por sua São Luís natal em carros populares.  

No ano passado, a empresa faturou R$ 9,9 bilhões e teve lucro líquido de R$ 338 milhões. O grupo tem 137 lojas físicas nas regiões Norte e Nordeste, sendo 29 atacarejos, 24 supermercados, 2 hipermercados, 66 lojas de eletroeletrônicos, 16 lojas de vizinhança e nove centros de distribuição. A operação se dá sob as bandeiras Mix Atacarejo, Supermercado Mateus, Eletro Mateus e Camiño Supermercados, além de uma plataforma de e-commerce”.

(Com informações de O Globo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.