Focos de queimadas reduzem no Maranhão com ações do Corpo de Bombeiros

A campanha Maranhão Sem Queimadas prossegue em todo o estado, com reforço nas regiões com focos de queimadas. Realizada pelo Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA), desde o mês de agosto, a iniciativa vem combatendo estas ocorrências, que este ano, já apresentam uma diminuição de quase 50%. Segundo o CBMMA, este ano foram registrados oito mil focos de queimadas no Maranhão, enquanto no ano passado foram aproximadamente 18 mil focos.

“O Corpo de Bombeiros está em campo, nas cidades com mais incidência, levando as ações da campanha para a prevenção e combate destes casos, que estão diminuindo. O trabalho se baseia na ação direta contra os focos [de incêndio], na educação e sensibilização das comunidades para que não provoquem queimadas com atos errados. Nosso trabalho se mantém até o fim do período de estiagem”, informa o comandante geral do CBMMA, coronel Célio Roberto de Araújo.

Somado às ações diretas e de conscientização, a campanha Maranhão Sem Queimadas mantém uma Sala de Situação, que funciona como central de monitoramento para identificar os focos de queimadas e incêndios no estado. A região do cerrado, onde está localizado o Parque Estadual do Mirador, é a mais afetada por grandes focos de incêndio. Para somar com as ações já desempenhadas, também está sendo distribuída uma cartilha do Programa Agricultura Familiar Sem Queimadas, com informações sobre queimadas, formas de prevenção e ações corretas para evitar acidentes.

O Corpo de Bombeiros tem realizado campanhas preventivas, presencial e online, além de treinamentos com a comunidade. Além disso, serão desenvolvidas cartilhas específicas sobre o tema para os municípios de Mirador, Balsas, Imperatriz, Grajaú, Barra do Corda e Codó. O período de estiagem se consolida, no Maranhão, a partir do final de julho e segue até o início de dezembro. Classificado pela escassez de chuvas, o período é um forte fator para o aumento das queimadas nas regiões mais áridas.

A campanha Maranhão Sem Queimadas conta com a colaboração do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA), com apoio das Secretarias de Agricultura Familiar (SAF) e Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), além da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), do Instituto de Colonização de Terras (Iterma), da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged), Defesa Civil e prefeituras municipais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.