.

Destaque do Maranhão em investimentos públicos é resultado da correta aplicação de recursos, afirma Clayton Noleto

O secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, concedeu entrevista à TV Mirante, nesta sexta-feira (26), no quadro Bastidores. Durante a conversa, Clayton Noleto falou sobre o Maranhão ter sido destaque em investimentos públicos em 2020, do trabalho de construção e recuperação de rodovias, da execução de ações na região sul do estado e de novos investimentos nas áreas de educação, segurança e saúde.

O jornalista Clóvis Cabalau, que comanda o quadro dentro do programa Bom Dia Mirante, iniciou a entrevista citando que o estado foi destaque nacional em investimentos públicos em 2020, segundo o Tesouro Nacional. O Maranhão ficou em terceiro lugar no ranking, entre os estados brasileiros.

Para o gestor da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), o reconhecimento é fruto da correta aplicação dos recursos. “Esse é um resultado que deixa todos nós muito satisfeitos. Essa resposta é consequência de um planejamento atrelado a aplicação correta dos recursos públicos, o que permite a criação de redes de assistência à população e possibilitou a melhoria das condições das rodovias, investimentos em saúde, segurança, criação de novos hospitais e novas escolas”, afirmou.

Construção e recuperação de rodovias

Ao ser questionado sobre as críticas que recebe devido às condições das rodovias que cortam o estado, Noleto ressaltou o esforço que está sendo realizado, pelo Governo do Maranhão, para garantir a trafegabilidade e o direito de ir e vir da população, apesar dos desafios enfrentados e que estão sendo superados.

“É um desafio muito grande manter a malha rodoviária estadual totalmente trafegável pois nós temos um regime de chuvas muito intenso. Nós temos um tráfego muito intenso e pesado, são 7 mil quilômetros, aproximadamente, de rodovias. Sendo que, desses 7 mil quilômetros, 4 são de rodovias estaduais e nós temos feito um esforço muito grande para manter tudo em bom estado. O governador Flávio Dino tem se empenhado, pessoalmente, junto com a equipe, para fazer esses investimentos que colocaram exatamente o Maranhão em 3° lugar”, reforçou. O gestor da pasta evidenciou, ainda, que já foram construídos 1.500 quilômetros de novas rodovias, além da recuperação de mais de dois mil quilômetros de estradas.

Sul do Maranhão

Ao citar a Região Sul do estado, Noleto salientou que estão sendo investidos mais de R$ 300 milhões na região. O secretário frisou, ainda, que serão realizados serviços na MA-006, entre a cidade de Grajaú e Formosa da Serra Negra. “Nós já executamos obras no trecho entre Grajaú e Arame e, posteriormente, faremos entre Tasso Fragoso e Alto Parnaíba. São R$ 300 milhões investidos, um número bastante expressivo. São esforços visando novas rodovias pavimentadas e facilitando o escoamento da produção, auxiliando assim os produtores”, reforçou.

Investimentos previstos na educação, segurança e saúde

Finalizando a entrevista, o jornalista perguntou sobre os investimentos previstos para 2021. “Para este ano, nós temos grandes obras para serem inauguradas, como a ponte Central-Bequimão e mais os acessos. Uma grande obra que está sendo aguardada há mais de 50 anos. Tem, também, o novo Hospital da Ilha e o novo Socorrão de Imperatriz, que está em andamento. Esses são exemplos desses grandes investimentos”, enfatizou.

Segundo o secretário, na gestão do governador Flávio Dino frente do Governo do Estado estão sendo estabelecidas redes, como as rede de saúde com os hospitais macrorregionais; rede de segurança, com novas delegacias, aumento do efetivo policial, elevação do quantitativo de armamento e viaturas; rede de educação, com o programa Escola Digna, com escolas de tempo integral, a implantação de novas unidades do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia (IEMAs); a rede de saúde alimentar, com os restaurantes populares; e a área da Infraestrutura, com essa nova malha viária.

Para Noleto, os investimentos nessas redes incentivam a iniciativa privada. “Os investimentos contribuem, também, para que o próprio empresariado, a iniciativa privada, tenha motivação para investir, gerando mais empregos e renda”, afirmou.