Ações preventivas da Polícia Civil reduzem casos de assaltos a residências

Os casos de roubo a residências diminuíram 29% no mês de junho deste ano, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Foram 22 situações contra 31, respectivamente, sendo este o menor índice verificado, desde abril de 2019. Os dados são do relatório da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), que aponta ainda 53% de aumento nas prisões de suspeitos deste crime, no primeiro semestre deste ano. 

O resultado expressivo é fruto de medidas da DRF, com foco na prevenção dos casos, na identificação de líderes de quadrilhas especializadas e na execução de operações direcionadas ao combate deste crime. Além dos assaltos a residências, o plano de trabalho foca ainda em outros crimes patrimoniais, como roubos a estabelecimentos comerciais e postos de combustíveis.

O plano de ação foi reforçado no período de pandemia, com objetivo de garantir a segurança da população, destaca o titular da DRF, delegado Bruno Figueiredo Aguiar. “Diante do momento de isolamento social, onde há menor circulação de pessoas, intensificamos o trabalho para evitar que a população ficasse à mercê dos criminosos. O resultado foi bastante positivo e atua como estímulo para a continuidade do trabalho desenvolvido até o momento”, enfatiza o delegado Bruno Aguiar.

Outros números do relatório da DRF apontam no primeiro semestre deste ano para o cumprimento de 60 prisões preventivas, 53% a mais que no mesmo período do ano passado, quando foram realizadas 39 prisões. O documento destaca ainda queda de 15% nos crimes de roubos a comércios e empresas, em junho deste ano. A área da Cidade Operária e bairros adjacentes são os de maior registros de casos, segundo o levantamento.

As estratégia da delegacia para frear esta criminalidade inclui adoção de técnicas investigativas especializadas com divisão de tarefas entre os integrantes da equipe – delegados, investigadores, escrivães e administrativos. O delegado acrescenta que o aumento na efetividade do cumprimento de mandados de prisão, com a desarticulação dos grupos criminosos, foi importante fator contribuinte para redução dos casos.

“Esse trabalho coordenado tornou possível um monitoramento constante dos alvos, com fins a dar cumprimento aos mandados de prisões e alcançar, de forma mais ágil, a identificação da autoria dos crimes praticados”, conclui o titular da DRF, Bruno Aguiar. A delegacia conta ainda com banco de dados munido de informações de suspeitos, bem como equipe capacitada e treinada nestas investigações, incluindo ações de inteligência. A DRF é um órgão da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC).

Denúncias:
– Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) – Rua Nossa Senhora da Vitória, atrás do Detran, Vila Palmeira – 3214-1632 / 190

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.