Ação Resgate realiza 300 atendimentos em edição alusiva ao Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua

Em alusão ao Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por intermédio do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD Estadual) e parceiros, promoveu a 13º edição da Ação Resgate nesta quarta-feira (19). O objetivo da iniciativa humanitária foi oferecer cuidados em saúde às pessoas que transitam pela Praça Deodoro, bem como àquelas que estão em situação de rua. 

“Desde quando foi instalado o cenário de pandemia, procuramos não deixar de realizar o Ação Resgate, mas se adequar às normas sanitárias para que continuássemos a ajudar o máximo de pessoas possível. Para isso, o CAPS AD procurou manter as atividades até mesmo durante o lockdown, tanto com aquelas pessoas que ainda estavam em situação de rua, como as que aceitaram o abrigo montado pela Prefeitura de São Luís no Castelão”, disse o coordenador do CAPS AD, Marcelo Costa. 

Durante a ação, foram atendidas 300 pessoas. Foram disponibilizados serviços como testes de HIV e Sífilis, vacinas contra Hepatites B e C, Sarampo, Gripe e Febre Amarela, além da aferição de pressão e glicemia, avaliação social e psicológica. Com a distribuição de 50 kits Equipamentos de Proteção Individual (EPI), contendo máscara e álcool em gel, a ação também aplicou 20 testes para diagnóstico da Covid-19. Todos os submetidos ao exame rápido tiveram resultado negativo para a doença.

A ação serviu ainda para levar à internação as pessoas que desejam realizar o tratamento contra a dependência química. Para ao delegado da Delegacia de Costumes, Joviano Furtado, a Ação Resgate reforça o monitoramento de locais onde há concentração de dependentes químicos. “Esse trabalho é justamente para conscientizar as pessoas de que elas podem sair da situação em que estão. Assim, podemos fazer um tratamento, e, ao mesmo tempo, possibilitar aos beneficiários alcançar uma vida melhor, tanto para si, como para os seus familiares e a sociedade em geral”, destacou.

A mobilização também foi uma oportunidade para que pessoas que se encontram em situação de rua possam mudar de vida. Genilson Batista, de 36 anos, disse que viveu nas ruas há 10 anos, mas que agora quer ter a vida transformada. “Nesse tempo que eu estou nas ruas, infelizmente deixei a abstinência vencer, mas hoje eu quis fazer diferente. Me desfiz do que tinha, aceitei o convite para me internar e espero conseguir ficar limpo de uma vez por todas”, disse. 

Nesta 13ª edição, a iniciativa contou com a parceria da Delegacia de Costumes, Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) e a Comunidade Católica Shalom. A previsão é que a próxima Ação Resgate seja realizada no dia 10 de setembro, em alusão ao Dia Mundial de Combate ao Suicídio, que integra as mobilizações do Setembro Amarelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.