O Maranhense|Notícias do Estado do Maranhão

São Luís 409 anos: residenciais construídos pelo Governo garantem moradia a quem mais precisa

Habitação para quem precisa. Com a construção dos residenciais José Chagas e Jomar Moraes, o Governo do Estado garantiu mais de 1.300 moradias para famílias carentes de São Luís, que antes moravam em palafitas. Nos 409 anos da capital, o Governo contempla a cidade com uma ampla revitalização nos residenciais, garantindo ainda mais qualidade de moradia a quem reside nos empreendimentos. 

Com obra executada pela Secretaria das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), os dois grandes complexos habitacionais beneficiaram com moradias dignas, famílias que viviam em condições de vulnerabilidade social. Os residenciais José Chagas e Jomar Moraes integram o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e estão passando por uma ampla reforma, para melhorar as condições estruturais. Atualmente, está em andamento um pacote de obras nos dois condomínios. 

O Governo realiza serviços de recuperação da pintura dos imóveis e também, das áreas comuns dos empreendimentos. O residencial Jomar Moraes, construído nas imediações do sítio Piranhenga, foi construído com investimentos do programa Minha Casa Minha Vida, da Caixa Econômica Federal (CEF) e contrapartida do Governo do Estado. 

É formado por 33 blocos de 32 apartamentos e por dois blocos de 24 apartamentos – sendo as unidades do térreo adaptadas – totalizando 1.104 unidades habitacionais. A obra beneficia famílias residentes ao longo da Avenida IV Centenário, principalmente dos bairros Liberdade, Camboa e Fé em Deus. 

O Residencial José Chagas, localizado na Avenida Ferreira Gullar, na Ilhinha, também teve investimentos do Minha Casa Minha Vida. A área é constituída por oito blocos de 32 apartamentos – com unidades térreas adaptadas – totalizando 256 unidades. O empreendimento abriga famílias da área que compreende o São Francisco, Ilhinha e Vila Jumento, em São Luís. São pessoas que moravam em palafitas e hoje têm um lugar adequado para viver. 

O conceito do projeto dos residenciais foi construído com base nas normas de acessibilidade e pensado para que a disposição dos blocos possa possibilitar a integração entre os moradores, com acesso aos espaços de vivência, como praças e quadras. Além disso, as áreas do entorno dos conjuntos habitacionais possuem espaços destinadas para empreendimentos de áreas como saúde, educação e cultura.

Iniciativas disponibilizadas aos moradores dos residenciais são coordenadas pela Secid, a partir do Projeto de Trabalho Técnico e Social (PTTS) e têm o objetivo de oportunizar formação profissional e gerar renda aos beneficiários. O PTTS da Secid trabalha com ações em quatro eixos: desenvolvimento social, geração de emprego e renda, gestão ambiental e gestão condominial. 

“Além de morar com dignidade, as famílias têm acesso a oportunidades de capacitação e outros benefícios oferecidos pelo Governo. O programa contribui com melhorias de vida social. É moradia que respeita o ser humano, uma vez que traz o que é indispensável para uma qualidade de vida. Quem reside nos residenciais e outras obras habitacionais do Governo têm acesso a muitas oportunidades e pode vislumbrar um futuro melhor para si e sua família”, frisou o titular da Secid, Márcio Jerry.