Santa Inês:Prefeitura realiza reunião sobre combate às queimadas

Foi realizada na manhã de quarta-feira, 29, no Gabinete da prefeita, uma reunião integrada a ações e combate às queimadas em Santa Inês. A iniciativa é da Gestão Municipal, através da Secretaria de Meio Ambiente com apoio da Secretaria de Saneamento, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros Polícias Civil e Militar e Promotoria de justiça.

Durante o encontro, foram apresentadas propostas para as ações e um projeto de Lei (Agosto Alaranjado) que será posteriormente encaminhado para a Câmara de Vereadores. Também será criada uma campanha para divulgação em toda imprensa, escolas e locais de grande circulação de público. A Secretaria de Meio Ambiente ficará responsável por intensificar a notificação aos donos de terrenos, mantendo a limpeza e capinação para que não acarrete penalidades, assim como um rigor maior na autuação dos indivíduos que realizem qualquer atividade que provoque incêndio em áreas verdes.

As queimadas poluem o ar, aumentando os problemas de saúde da população e o número de atendimentos nos postos de saúde. Além dos prejuízos ambientais, pela degradação do solo, provocam doenças, principalmente respiratórias, que causam problemas para todos, provocam sujeiras, odores e corroem o asfalto.

Os responsáveis pela infração ainda ficam sujeitos a reparação, reposição ou reconstituição do recurso ambiental danificado, embargo ou interdição temporária de atividade até correção da irregularidade. De acordo com Davilson Cardoso, secretário de Meio Ambiente, a gestão visa melhorar a saúde da população, a proteção, controle e desenvolvimento da questão ambiental, além do uso adequado dos recursos naturais. “O período de estiagem começou há pouco tempo e, nesta época do ano, a vegetação fica seca, com alto risco de combustão. Desde o início do mês de julho, as ocorrências de queimadas registradas na cidade aumentaram consideravelmente. É preciso que a população se conscientize e não promova queimadas em terrenos, nos próprios quintais ou em vegetações de áreas públicas”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *