Procuradora de justiça Mariléa Campos presidirá Comissão de Gestão Ambiental do MPMA

O procurador-geral de justiça, Eduardo Nicolau, assinou, na manhã desta quarta-feira, 14, portaria que designa a procuradora de justiça Mariléa Campos dos Santos Costa para presidir a Comissão de Gestão Ambiental do Ministério Público do Maranhão. De acordo com a portaria, que também designou os demais integrantes da Comissão, o MPMA deve estimular e promover mudanças de condutas de membros e servidores em relação à preservação ambiental.

A solenidade foi acompanhada pelas subprocuradoras de justiça para Assuntos Administrativos, Regina Leite, e Jurídicos, Lize de Maria Brandão; pela diretora da Escola Superior do Ministério Público, Karla Farias Vieira; pelos promotores de justiça Lítia Cavalcanti (CAOP Consumidor) e Fernando Barreto (Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente), além do secretário de Estado do Meio Ambiente, Diego Rolim.

Segundo Eduardo Nicolau, a escolha da procuradora para presidir a Comissão deve-se à sua atuação eficiente e sensível às causas ambientais. “Tenho certeza que a Dra. Mariléa fará um ótimo trabalho à frente da Comissão, incentivando boas práticas em prol do nosso meio ambiente”, destacou.

Especializada em Direito Ambiental, Mariléa Campos afirmou sentir-se honrada com a designação e garantiu que não medirá esforços para a difusão de práticas sustentáveis no âmbito do Ministério Público do Maranhão. “Só tenho a agradecer ao procurador-geral de justiça pela confiança e asseguro que vou cumprir mais esse papel no Ministério Público, com o apoio dos integrantes da Comissão”, afirmou.

A Comissão de Gestão Ambiental do MPMA é composta, ainda, por coordenadores de setores estratégicos da Procuradoria Geral de Justiça, além dos promotores de justiça Joaquim Ribeiro de Souza Júnior, diretor da Secretaria de Assuntos Institucionais em exercício; Carlos Henrique Vieira, diretor da Secretaria de Planejamento e Gestão; Theresa Muniz de La Iglesia, chefe de Gabinete do procurador-geral de justiça, e Lúcia Cristiana Silva Chagas, assessora-chefe do PGJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.