Operação do Corpo de Bombeiros intensifica combate às queimadas no interior do Estado

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) reforçam o trabalho de contenção dos focos de queimadas nas cidades do interior do Estado. Nesta semana, em Balsas, o grupamento promoveu ações preventivas e de controle, intensificando o plano de trabalho, devido ao período de estiagem. Segundo a corporação, boa parte das queimadas é causada por ação humana, no uso do fogo para preparar o solo ao plantio. A ação inclui medidas de combate e campanhas educativas nas comunidades. 

Em Balsas, as equipes monitoraram áreas com indício de incêndio e enviaram as informações distribuídas nos Boletins de Monitoramento de Queimadas. Neste semestre, serão desenvolvidas cartilhas específicas sobre o tema para os municípios de Mirador, Balsas, Imperatriz, Grajaú, Barra do Corda e Codó. Seminários e cursos de capacitação também serão organizados nessas regiões.

O comandante geral do CBMMA, coronel Célio Roberto de Araújo, destaca que apesar do cenário de pandemia, o trabalho se manteve. “Seguindo o planejamento de operação temos conseguido controlar o avanço das queimadas. Paralelamente, há um trabalho educativo e de conscientização com as comunidades para que façam uso do fogo da forma correta e segura”, pontuou o coronel. 

As queimadas são mais comuns e com maior intensidade nas regiões Sul, Centro, Leste, Oeste; e com menor, o Norte do Estado. Um dos fatores é a estiagem no segundo semestre. O momento se torna propício para a ação humana de uso do fogo na limpeza de área para atividades agrícolas. O relatório do CBMMA, com base em dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apontou 3.149 registros de queimadas no Maranhão, no primeiro semestre deste ano. 

O plano de operação inclui a gestão de risco, com medidas de preparação, prevenção e mitigação dos casos, além de gerenciamento do desastre com ações diretas de resposta. Toda execução é feita a partir da Sala de Gerenciamento de Crises, que funciona 24 horas. O Corpo de Bombeiros mantém um sistema de monitoramento permanente de queimadas, que funciona em todo Estado e emite alertas e alarmes quando há situações emergenciais.

Seguindo determinações da Portaria 0073/2020, os Bombeiros aplicam procedimentos técnicos e administrativos da Queima Controlada no Estado, que vão gerar bancos de dados das áreas autorizadas a realizar a queima. Com o período seco no segundo semestre, será reestruturada a Sala de Situação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA), com redefinição de metodologias operacionais e protocolos de segurança junto ao Corpo de Bombeiros.

É desenvolvida ainda a campanha ‘Maranhão Sem Queimadas’, com ações educativas, de sensibilização, palestras, debates e orientações sobre cuidados para evitar queimadas. O trabalho alcança comunidades da zona urbana e rural. Promove ainda cursos, estágios e treinamento das equipes na área de prevenção e combate. Além da ação humana, as queimadas são causadas também por atividades como caça e o desmatamento; na limpeza de terrenos, e devido estiagem.

A campanha tem parceria com as secretarias de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) e da Agricultura Familiar (SAF), Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp) e Batalhão Polícia Ambiental (BPA/PMMA). “Essa integração dos órgãos é fundamental, considerando o momento de pandemia, que pode ser  agravado com as fumaças das queimadas”, destaca coronel Célio de Araújo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.