Juízes e servidores produzem 5,6 milhões de atos durante pandemia

A Assessoria de Informática da Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão (CGJ-MA) divulgou, na segunda-feira, 17, o resultado do levantamento semanal da produtividade do Poder Judiciário nas varas, juizados e turmas recursais de todo o Estado, durante a pandemia de coronavírus. Até a última segunda-feira, 16, o trabalho conjunto de juízes e servidores totalizou 5.601.397 atos judiciais e processuais.

Os atos praticados pelos juízes reuniram 130.960 julgamentos; 125.963 decisões e 323.279 despachos emitidos. Os atos dos servidores nas secretarias judiciais, dentre emissão de citações, certidões e mandados, recebimento de petições e cumprimento de mandados judiciais, totalizaram 5.021.195.

O levantamento reúne o acumulado das atividades após o início da pandemia, no período de 23 de março até o dia 16 de agosto, incluindo os atos realizadas por meio de teletrabalho, com a suspensão do atendimento presencial nos fóruns e juizados especiais, por conta da pandemia, e os presenciais, após o retorno gradual dos serviços, a partir de 1º de julho.

TELETRABALHO – Durante o período em teletrabalho – de 23 de março até 30 de junho -, os serviços foram prestados por meios eletrônicos (telefone, whatsapp e videoconferência), alcançando o total de 3.429.943 atos: 3.046.965 deles praticados pelos servidores e 382.978 por juízes, nesse período.

A partir de 1º de julho até 16 de agosto, com a retomada das atividades presenciais nos fóruns e juizados, a produtividade dos juízes e servidores somaram 2.171.454 atos, sendo 1.974.230 dos serventuários e 197.224 dos juízes.

Os dados acerca da produtividade foram extraídos em 17 de agosto, dos sistemas “Termojuris” e “Promeritus”, que integram a base de dados do Poder Judiciário e são utilizados pela CGJ-MA para monitorar o acompanhamento da produtividade da Justiça do 1º Grau. As tabelas com a produtividade semanal de magistrados e servidores podem ser acompanhadas pela internet, no hotsite “Corregedoria Contra o Coronavírus”, no portal do Poder Judiciário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.