Governo promove ação alusiva à Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas

No intuito de fortalecer as ações de assistência às pessoas em situação de vulnerabilidade social e reforçar as medidas de combate à Covid-19, o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD Estadual), em parceria com a Delegacia de Costumes e a Secretaria de Assistência Social do Município (Semcas), realizou, na manhã sexta-feira (26), na Praça Deodoro, em São Luís, mais uma edição da Ação Resgate. Quarta realizada durante a pandemia, a ação desta sexta-feira foi alusiva à Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas.

O diretor do CAPS AD, Marcelo Costa, explica que a ação foi voltada para a população usuária de drogas mais vulnerável que existe, que é a população de rua. “Hoje foi uma ação resgate diferente, alusiva ao Dia Internacional de Prevenção e Combate às Drogas. Entre os serviços oferecidos, estão os testes rápidos para detecção do novo coronavírus, pois é importante sabermos se essa população está doente para podermos tomar as medidas cabíveis necessárias para prevenir a proliferação dessa doença. Além disso, oferecemos um café da manhã para promover ainda mais a humanização”, destaca Marcelo Costa.

Além dos testes rápidos para coronavírus, a ação ofereceu ainda uma série de serviços voltados à população de rua, como testes rápidos para HIV, sífilis e hepatite, avaliação de glicemia e pressão arterial, além da distribuição de kits de higiene, EPIs e vacinação contra H1N1 em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semus).

“Em todas as ações nós estamos oportunizando às pessoas que realmente desejam de forma voluntária fazer o tratamento, o encaminhamento às casas terapêuticas. Esta ação visa à prevenção ao uso de drogas bem como o acolhimento, o atendimento e a reinserção social e econômica do dependente químico”, ressalta o delegado Joviano Furtado.

Mais de 60 pessoas passaram pelos atendimentos oferecidos na ação, uma delas foi Nivaldo Batista, morador de rua, ele atualmente trabalha como ambulante no Centro da Capital.

“Esses atendimentos chegaram na hora certa, assim como eu, todos os moradores de rua precisam de ações como essas. Tive a oportunidade de aproveitar os serviços oferecidos aqui e ainda fiz meu teste rápido para saber se estou com coronavírus ou não. Sou dependente químico e não teria dinheiro para pagar por um teste desse em uma farmácia por exemplo”, disse Nivaldo Batista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.