Exagerei na comida e na bebida. E agora?

Festa da empresa, Natal, Ano Novo, mesmo em meio a pandemia as refeições do final de ano vão continuar fartas e calóricas para a maioria das pessoas. Nestas horas é comum exagerar, comer ou beber mais do que aguenta, e o corpo cobra.

“Um dos principais problemas das pessoas em geral é a baixa ingestão de água. O ideal é beber pelo menos dois litros ao dia, recomendação para mulheres, e dois litros e meio para os homens, porém a minoria tem este hábito. Quando a pessoa pratica exercícios físicos a quantidade de água deve ser maior. Com a rotina atribulada do final de ano a tendência é ingerir ainda menos água e isto colabora para ressaca e má digestão”, conta a nutricionista Valeska Pasinato, do Plunes Centro Médico

Segundo a nutricionista, para facilitar a ingestão de água é possível dar um sabor diferente com rodelas de limão, laranja, hortelã e até mesmo canela. É uma das maneiras mais fáceis de inserir o hábito na alimentação.

“Outra recomendação é a inclusão de alimentos mais saudáveis, como sobremesas com frutas no lugar de muito açúcar, verduras, carnes magras e cereais integrais. Iniciar a refeição pela salada, trocar o arroz branco pelo integral, isto garante maior saciedade, diminuindo possíveis exageros”, explica.

A especialista também explica que fazer dietas restritivas ou líquidas após os excessos, como uma forma de compensação, não surte efeito. “Evite a tentativa de dietas restritivas ou a base somente de líquidos para compensação. Estes períodos restritivos podem gerar novos exageros alimentares, criando assim um ciclo de hábitos desequilibrados. Saber manter o equilíbrio e retomar é a chave do sucesso para uma vida saudável”, finaliza.