O Maranhense|Notícias do Estado do Maranhão

Partes processuais encerram 43 conflitos por acordo, em Cururupu

O Judiciário de Cururupu realizou 110 audiências de conciliação em processos de família, pensão alimentícia, ações de cobrança, ações contra a fazenda pública, juizado especial cível e criminal, demandas envolvendo relação de consumo, Termo Circunstanciado de Ocorrência (criminal) e verificação de paternidade.


As audiências foram realizadas no período de 30 de novembro e 4 de dezembro de 2020 – durante a “XV Semana Nacional da Conciliação” – e resultaram em 43 acordos negociados e acordados entre as partes processuais e homologados pelo juiz de direto, sendo revertidos em sentenças judiciais.


O esforço direcionado para as audiências conciliatórias foi realizado em três salas do fórum, nos períodos manhã e da tarde, com o auxílio de dez servidores.


Durante a Semana, promovida pelo Conselho Nacional de Justiça em todo o Brasil, dezenas de comarcas do Maranhão realizaram audiências conciliatórias, que contribuem para impulsionar a demanda e reduzir o acervo processual nas unidades jurisdicionais do Estado.


A campanha, realizada anualmente, promoveu, este ano, o conceito “Conciliar, nós concordamos”, com o objetivo de demonstrar que o método de solução de conflitos consensual está disponível diariamente nos tribunais, varas, juizados e Centros Judiciários de Solução de Conflitos.

Para o juiz Douglas Lima da Guia (4ª Vara de Balsas) respondendo pela Comarca de Cururupu, a semana é o momento favorável para que as partes sentem e dialoguem, com a ajuda de um mediador ou conciliador, a fim de buscar uma solução para os conflitos.

“Muitas vezes, as partes vêm ao fórum, trazem uma demanda judicial, e essa demanda se arrasta por um longo tempo, devido à necessidade da instrução processual. No acordo, não. Essa solução pode ser imediata, a depender da vontade das partes, que cedem, abrindo mão de seus interesses exclusivamente pessoais para poder chegar a uma solução para o caso”, disse o magistrado.