Em seis anos, Governo investe mais de 67 milhões no Programa do Leite Especial

“Minhas duas filhas nasceram com alergia à proteína do leite e, graças a Deus, conseguimos alimentação especial para elas através do Programa Leite Especial. O Governo está de parabéns, pois tem ajudado muita gente oferecendo gratuitamente um leite que é tão caro no comércio”, diz o bacharel em direito e motorista, José Bispo Pimentel, 33 anos, pai da Clarisse Pimentel de 5 anos e da Abigail Pimentel de 2 anos.

José Pimentel fala ainda sobre o desespero que a família passou quando a filha mais velha, Clarisse, começou a passar mal aos 15 dias de vida. “Ficamos desesperados sem saber do que se tratava, mas neste mês ela recebeu alta, já a Abigail continua recebendo o leite pelo programa e estamos muito satisfeitos”, conta.

Voltado para atender crianças com intolerância à proteína do leite de vaca e alergias alimentares, que necessitam de uma alimentação especial (na forma de latas de leite), o Programa Leite Especial, executado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), já realizou entre os anos de 2015 e 2020, 62.540 atendimentos, com 427.263 latas de leite distribuídas, um investimento de R$ 67.385.299,97, alcançando crianças de 187 municípios.

Só em 2020, foram realizados 11.439 atendimentos, com a distribuição de 72.447 latas de leite, contemplando 157 municípios do Maranhão.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, o Maranhão é um dos poucos estados brasileiros que garante regularmente o fornecimento de leite especial às crianças. “Estamos investindo mais a cada ano para poder assistir essas famílias, pois esses leites são complementos alimentares caros e que se tornam inviáveis de serem adquiridos no comércio”, afirma Carlos Lula.

Em média, as fórmulas especiais distribuídas gratuitamente pelo poder público estadual custam mais de R$ 225,00 no comércio. O alto valor do produto impede que muitas famílias possam comprar o leite. Com o programa, o estoque distribuído pela Secretaria de Estado da Saúde garante assistência àqueles que não podem pagar pelo complemento alimentar. O coordenador do Programa do Leite Especial, João Marcos Bezerra, ressalta a rapidez com que as famílias têm acesso às latas de leite especial.

“O Maranhão tem um programa que preza pela rapidez no atendimento, fazendo com que não haja necessidade de ordem judicial. A criança se consulta com o médico no hospital referenciado e logo após a consulta, com o laudo médico em mãos, reúne a documentação e no mesmo dia recebe o leite, pois sabemos que se tratam de casos de urgência”, destaca o coordenador João Marcos.
Atualmente, o programa possui 1.320 crianças com cadastros ativos, sendo que desde a sua criação já atendeu 6.448 crianças.

Cadastramento

O cadastro acontece após o atendimento das crianças pelo médico gastropediatra, que compõe a comissão avaliadora do programa. Atualmente, esses especialistas atendem no Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, Maternidade Marly Sarney e Hospital da Criança, este pertencente a rede municipal de saúde.

As consultas podem ser marcadas presencialmente nessas unidades ou através dos seguintes contatos: Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos (98) 3221-5134/ (98) 3231-6880; Maternidade Marly Sarney (98) 3245-2757; e Hospital da Criança (Municipal) (98) 3212-8422. As fórmulas disponíveis no programa são a Neocate LCP, Neocate Advance, Aminomed, Pregomin Pepti e Nan soja.

O Programa do Leite Especial está localizado no Hospital Infantil Dr Juvêncio Matos, no setor de Gastropediatra, em São Luís (MA). Ele funciona de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h.