Desembargador José Gonçalo participa de posse da FIEMA

Autoridades, empresários industriais, políticos e dirigentes de entidades de classe, participaram da posse da diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) para o quadriênio 2021-2025, nesta quinta-feira (17), no Salão de Evento da Casa da Indústria. O presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), desembargador Lourival Serejo, foi representado pelo desembargador José Gonçalo. A nova diretoria presidida por Edilson Baldez das Neves, foi eleita por unanimidade. 

Com o presidente Edilson Baldez tomaram posse Francisco de Sales Alencar como 1º vice-presidente, os cinco vice-presidentes executivos da entidade, os diretores, conselheiros fiscais e delegados representantes junto à Confederação Nacional da Indústria. 

A solenidade foi oficialmente aberta com a execução do Hino Nacional Brasileiro e a leitura da relação dos integrantes da nova diretoria da FIEMA, feita pelo 1º secretário da FIEMA, Pedro Robson Holanda da Costa.   

A solenidade contou com a presença do Rafael Lucchesi, Diretor Geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e Diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), que representou o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade,  do vice-governador Carlos Brandão, e da vice-prefeita de São Luís, Esmênia Miranda,  e do Secretário de Estado da Indústria, Comércio  e Energia, Simplício Araújo,  dentre diversas autoridades e empresários industriais do Estado.  

Em seu discurso, Edilson Baldez ressaltou que apesar dos dias de incertezas e turbulências, novos horizontes se anunciam com a retomada do crescimento do PIB e o avanço dos empregos.   

“O país precisa de reformas urgentes que facilitem a vida de quem trabalha e produz. Precisamos de transparência, segurança jurídica e tranquilidade para quem gera empregos e riquezas. Precisamos modificar o cenário pernicioso porque empreender no Brasil é um ato de coragem. A indústria tem pressa e precisa se revigorar e renascer com a tecnologia, a inovação e competividade. Para assegurar espaço privilegiado nessa nova conjuntura, acionamos ações que estimulassem a vocação do nosso estado, formulando estratégias para contribuir para o desenvolvimento do Maranhão”. 

O presidente da FIEMA destacou também a ação do Grupo de Trabalho Pensar o Maranhão, no qual vem analisando as necessidades e potencialidades de diversos setores importantes. “Esse grupo tem discutido temas prioritários para o Maranhão como o saneamento básico, as perspectivas petrolíferas da Bacia PA-MA, assim como a implantação do Centro Espacial de Alcântara, negócio aeroespacial que prevê investimentos de bilhões de dólares no estagnado munícipio histórico de Alcântara, que agora vai renascer economicamente com a era espacial”, afirmou Baldez.   

Edilson Baldez relembrou o trabalho feito em parceria com as demais entidades de classe com o Avança Maranhão, um plano de iniciativa das entidades empresariais para mitigar os impactos da pandemia sobre a economia maranhense, e que beneficiou, somente no segmento industrial, 740 empresas, atendeu 32 mil trabalhadores e praticou 97 mil atendimentos, com o apoio do SESI, SENAI e IEL.

“Além de levar a solidariedade, colaboramos com as nossas equipes de saúde da vacinação em vários municípios do estado. A indústria se destaca pela sua dinâmica de inovação, modernidade e competitividade. Igualmente ao acompanhar os avanços tecnológicos, ganhos de produtividade e por participar com maior remuneração dos fatores de produção, como capital e trabalho”, afirmou o presidente da FIEMA.   

“Apesar das muitas crises econômicas que o país atravessou, e agora a da pandemia do Coronavírus, nossa indústria mantém sua posição no cenário regional e nacional. De um PIB estadual de R$ 87 bilhões, a indústria contribui com 18,5%, correspondendo ao 4º(quarto) maior do Nordeste. Possuímos 9,9% das empresas industriais da região nordestina. Somos   responsáveis por 1, 9 bilhão de dólares de exportação de produtos industrializados. E a arrecadação de ICMS na indústria do Maranhão, em 2019, superou 1,2 bilhão de reais. Com esses alicerces, a Indústria sempre será um segmento transformador socioeconômico e a força do desenvolvimento do nosso país”, enfatizou Baldez agradecendo a diretoria a honrosa oportunidade de uma nova gestão à frente da FIEMA e a sua família pelo incentivo de acompanha-lo em mais essa jornada.  

“É um prazer participar da posse desse líder da indústria do Maranhão, uma voz serena, de construção no entendimento no ambiente da CNI. Se o Brasil tem um futuro certamente ele se construirá sobre atividades econômicas mais sofisticadas de maior valor agregado. Não há na história da humanidade nenhum pais desenvolvido sem apostar na agenda da industrialização. Ela é a agenda que estabelece os melhores empregos e investe em inovação. 70% do investimento hoje em inovação é feito pela indústria”, declarou Rafael Lucchesi, Diretor Geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e Diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI).  

O nosso sistema aqui no Maranhão tem uma força grande não apenas pela liderança do presidente Baldez e da FIEMA mas também por instituições sólidas como o SESI e o SENAI que há décadas estabelecem seu papel extremamente importante.   

Edilson Baldez também fez questão de agradecer aos parceiros Governo do Estado, Prefeitura de São Luís e demais nove prefeituras maranhenses e setor privado que muito contribuíram para o triunfo da sua administração.   

O vice-governador Carlos Brandão ressaltou a parceria do Sistema FIEMA com o Governo do Estado na imunização contra a covid-19. “Esse apoio da FIEMA por meio do SESI na vacinação contra a covid-19 tem sido fundamental para o Estado e nós só temos a agradecer”, disse Brandão. 

O vice-governador maranhense declarou ainda que a FIEMA tem colaborado muito com desenvolvimento socioeconômico do Estado. 

“É uma parceira do Governo do Estado tem colaborado muito, hoje é um laboratório de informações, de ciência onde ela tem Plano Pensar o Maranhão com sugestões para o desenvolvimento do nosso estado. Tenho mantido essa relação e acredito no trabalho deles. A FIEMA tem um papel fundamental porque sem empresários não tem renda, não tem emprego, desenvolvendo o nosso Estado”, destacou Brandão.  

Ele também lembrou e fez um registro singelo aos familiares dos ex-vice-presidentes da FIEMA, José Ribamar Barbosa Belo e Cirilo Campelo Arruda, empreendedores obstinados que muito contribuíram para o engrandecimento do Sistema FIEMA e do Maranhão.  

A solenidade foi encerrada com um jantar no Salão de Eventos da Casa da Indústria e contou também com a participação da diretora Administrativa do SEBRAE, Rachel Miranda, do diretor Regional do SENAC, José Ahirton Lopes, do presidente da FAEMA, Raimundo Coelho, do presidente da Fecomércio, José Arteiro da Silva, do Presidente do CDL, Fábio Henrique, do presidente da ACM, Cristiano Fernandes, do presidente da Associação Comercial e Industrial de Imperatriz, Edmar de Oliveira Nabarro, e do presidente do CREA-MA, Clóvis Sousa.   

O evento também foi prestigiado pelo deputado estadual, Ariston Ribeiro, pelo deputado federal Antônio Elizabeth Gonçalo de Sousa, do diretor institucional da EMAP, José Reinaldo Tavares, além da coordenadora regional do IEL-MA, Michele Frota, o diretor regional do SENAI, Raimundo Arruda e o superintendente do SESI-MA, Diogo Lima e do superintendente da FIEMA, Cesar Miranda.