Comitiva da ONU Mulheres visita o CIT e se reúne com líderes religiosos de matriz africana

No último da comitiva da ONU Mulheres no Maranhão, as representantes Anastasia Divinskaya e Ana Cláudia Pereira visitaram, na manhã desta sexta-feira (5), o Centro de Iniciação ao Trabalho (CIT), no bairro da Liberdade.

O CIT é um dos maiores quilombos urbanos do Brasil e o primeiro certificado pela Fundação Palmares – oferecendo mais de 10 oportunidades de capacitação, como corte e costura, estamparia, pintura em azulejos, customização de roupas, design de moda afro, oficina de hip-hop e inclusão digital para jovens periféricos.

Estiveram presentes na ocasião a secretária de Estado da Mulher, Nayra Monteiro, e a secretária adjunta Kari Guajajara; a deputada estadual Ana do Gás; a diretora da Casa da Mulher Brasileira, Susan Lucena; além de outros representantes da Secretaria de Estado da Mulher (SEMU), da Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e da Secretaria de Estado do Trabalho e Economia Solidária (Setres).

Na oportunidade, as representantes da ONU Mulheres ficaram satisfeitas ao observar de perto, todo o compromisso do Governo do Estado em investir em políticas públicas direcionadas a comunidades periféricas.

Ainda na manhã desta sexta-feira, a comitiva seguiu em visita ao Terreiro de Mãe Nonata, onde as representantes da ONU Mulheres explanaram um pouco sobre o projeto “Direitos Humanos de Mulheres Indígenas e Quilombolas: Uma Questão de Governança”,  e ouviram das lideranças de movimentos religiosos de matriz africana sobre as dificuldades enfrentadas por conta do preconceito, e pontuaram, ainda, sobre a importância da implantação de políticas públicas direcionadas às religiões de matriz africana, para a garantia de direitos dos mesmos.