Comissão de Acessibilidade busca parcerias para adequação de locais de votação

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Tyrone Silva, e o juiz José Gonçalo de Sousa Filho, membro da Corte presidente da Comissão de Acessibilidade, procuram firmar parcerias para adaptação de prédios públicos que servem de locais de votação.

Nesta quinta-feira, 20 de agosto, ambos receberam, acompanhados do diretor-geral Gustavo Vilas Boas e de servidores que compõem a Comissão, o superintendente de engenharia da Secretaria Municipal de Educação de São Luís, Nicolas Daniel Gomes Silva, para pedir a adequação de 4 locais até a data de 15 de novembro, quando ocorre o 1º turno das eleições 2020.

Esta não é a primeira ação da Comissão de Acessibilidade, que tem o apoio da alta administração do TRE. Ela vem promovendo iniciativas constantes que visam melhorar a acessibilidade dos eleitores nos locais de votação através de acordos de cooperação técnica com órgãos municipais e estaduais, a exemplo dos firmados durante a conclusão do recadastramento biométrico em 2019.

Tyrone Silva ressalta que essas parcerias permitem reduzir ou transpor barreiras físicas que impeçam ou dificultem o voto de eleitores com alguma deficiência.
Durante a reunião, o juiz José Gonçalo apresentou ao presidente um relatório de vistoria feito pelas zonas eleitorais onde constam a relação das escolas municipais que precisam ser adequadas.

“Esse contato visa que a Secretaria de Educação efetue reformas nos prédios e possibilite acesso às pessoas que tem dificuldade”, explicou o magistrado, e o superintendente respondeu que serão feitos os ajustes necessários.

Outras reuniões com esse objetivo já foram também realizadas com a Secretaria Estadual de Educação e com a Federação dos Municípios.

À SEDUC de São Luís foram pedidas adequações das escolas CEM Nerval Lebre Santiago, CEJA e UEBs Maria Emília Profeta e Professor João Lima Sobrinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.