Aquisições são estudadas pelo Grupo Mateus

O Grupo Mateus já foi procurado duas vezes para discutir a possibilidade de adquirir outras companhias, afirmou Ilson Mateus, presidente da companhia, em teleconferência de resultados, ocorrida em 14/05. “Com relação a M&A [fusões e aquisições, na sigla em inglês], todo negócio que entendermos que vem para somar e acelerar o crescimento, vamos conversar”, disse o empresário.

Com operações no Norte e Nordeste, o grupo alcançou um faturamento de R$ 3,8 bilhões entre janeiro e março deste ano, o que representa uma alta de 36,1% em relação a igual período de 2020. O avanço é puxado pelas inaugurações. No 1º trimestre foram 11, de um total de 43 nos últimos 12 meses. Já nas unidades em funcionamento há mais de um ano, o crescimento foi de 10%.

O Ebitda ajustado cresceu 41,6% no período, para R$ 220 milhões. Com isso, a margem Ebitda ficou em 6,6% no trimestre, o que representa um ligeiro avanço 0,2 ponto percentual sobre os mesmos meses do ano passado. Segundo a empresa, isso se deve ao aumento da receita, que ajudou a diluir custos. Em valores, entretanto, as despesas administrativas, gerais e de vendas, apresentaram uma alta de 33,9%, atingindo R$ 630,4 milhões.

Segundo o presidente do grupo, houve impacto de custos relacionados às inaugurações de loja e ao enxugamento de depósitos a partir da inauguração de novos CDs. “No Pará, por exemplo, saímos de Belém e fomos para o novo de centro de distribuição em Santa Izabel. Nesse processo, houve um grande número de desligamentos, com pessoas que preferiram não mudar de cidade. Além disso, se tivéssemos que transportar todo o quadro para o novo município teríamos um custo muito alto. Houve ainda casos de multas com contratos, entre outros”, explicou.

Fonte: SA Varejo