.

Alumar investe no protagonismo juvenil para promoção de saúde

Por meio do Instituto Alcoa, o Consórcio, as Secretarias de Saúde estadual e municipal e a organização não governamental Plan International se mobilizam para conscientizar adolescentes sobre educação sexual. A iniciativa é fruto do projeto “Adolescente Multiplicando Saúde”, idealizado pela Plan International, que tem o objetivo de capacitar adolescentes, especialmente meninas, para serem multiplicadoras em temas de saúde sexual e reprodutiva, direitos reprodutivos, gravidez na adolescência, doenças sexualmente transmissíveis e outras vulnerabilidades sociais.  Já na sua segunda fase, o projeto foi lançado, na sede da Plan, com a participação de parceiros e representantes de escolas participantes.
O “Adolescente Multiplicando Saúde” foi criado em 2017 para criar uma dinâmica de saúde entre os jovens das comunidades rurais da Ilha. Na sua primeira etapa, foram beneficiados os Centros de Ensino Médio (CEM) dos bairros da Estiva, Coqueiro, Maracanã, Inhaúma e Pedrinhas. Cerca de 72 alunos foram diretamente treinados, com projeção para alcançar mais de 1.500. “O projeto deu super certo”, comemora a coordenadora do projeto, Ana Cleudes Silva, acrescentando que, para a nova fase, a atuação do trabalho será estendida para as Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos bairros, “a ideia é sensibilizá-los sobre como se relacionar com os adolescentes e, com certeza, fará toda a diferença”, explicou. Serão beneficiados o CEM Médio Profº Mário Martins Meirelles, no bairro de Pedrinhas, CEM “Salim Braid”, Estiva e CEM “Maria do Socorro”, além das suas respectivas Unidades de Saúde Básica.
Apoiado no argumento de quem melhor pode falar para o jovem é o próprio jovem, a capacitação tem se revelado “como uma oportunidade para o amadurecimento e autoconhecimento”, na opinião dos adolescentes, multiplicadores do projeto, Ana Beatriz e David Jr. Eles participaram em suas escolas e, hoje, são os divulgadores para adesão de outros mobilizadores. “O nosso papel é ajudar romper preconceitos e mostrar que a informação e a conversa cos colegas,  com a família, especialmente com os pais, e com a comunidade são fundamentais para a nossa proteção”, afirmaram.
Para a representante da Alumar, Francisca Fontes, o projeto ‘é uma excelente ferramenta de inclusão, pois trata de temas que estão presentes no cotidiano dos jovens, mas que não são esclarecidos, para que eles possam se proteger e, mesmo, reconhecer os seus direitos”, avaliou a analista de Relações Institucionais da Alumar. Ela destacou o quanto o consórcio, por meio do Instituto Alcoa, apoia essa ideia, “queremos contribuir para a construção de uma sociedade na qual a orientação sexual e os direitos sexuais e reprodutivos sejam respeitados e precisamos contar com esses jovens”, concluiu.
Sobre a Alumar
O Consórcio de Alumínio do Maranhão (Alumar) é um dos maiores complexos industriais de produção de alumina do mundo. Inaugurado em Julho de 1984, é formado pelas empresas Alcoa, Rio Tinto e South32 e desempenha um papel importante no Maranhão. Cerca de 90% de seus funcionários são maranhenses, além das centenas de fornecedores locais.
O sistema de gestão da Alumar é integrado e engloba gestões de qualidade,saúde, segurança, meio ambiente e social estabelecido com base nas normas NBR ISO 9001, NBR 14001, OHSAS 18001.