AGED vistoria propriedade para inclusão no Sistema de Mitigação de Risco da praga Sigatoka Negra

Fiscais da Unidade Regional da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão em Imperatriz realizaram, nesta segunda-feira (3), a vistoria técnica em uma propriedade rural no município de Ribamar Fiquene para inclusão da fazenda como produtora de banana, da espécie Pacovan, no Sistema de Mitigação de Risco (SMR) para Sigatoka Negra.

Devido a importância da bananicultura para o Maranhão, a AGED implantou o Sistema de Mitigação de Risco da praga através da Portaria n° 866/2013, com base na Instrução Normativa do Ministério da Agricultura n° 17/2005, que por meio da adesão voluntária dos produtores, vai possibilitar ao bananicultor a comercialização dos seus produtos entre as Unidades da Federação, através da integração de diferentes medidas de manejo de risco da praga, desde a implantação da cultura até a comercialização.

A propriedade, que possui uma área de 122 hectares, foi vistoriada observando-se os seguintes itens: identificação das cultivares, localização geográfica da propriedade, sistema de irrigação, tratos culturais, procedimentos de colheita e pós-colheita, principais ocorrências fitossanitárias e destinos de produção.

A área cultivada de banana na fazenda está dividida em duas unidades de produção, sendo que ambas são da cultivar Pacovan. No entanto, uma das áreas ainda se encontra em estágio de desenvolvimento, com apenas 8 meses plantio. Já a outra área está em produção há alguns anos.

De acordo com o fiscal estadual agropecuário da AGED, André Gonçalves, a propriedade realiza todas as atividades que são requisitos para atender a Instrução Normativa do Ministério da Agricultura e a Portaria da AGED. “Essa é a segunda propriedade que pleiteia o Sistema de Mitigação de Risco para Sigatoka Negra no ano de 2020, na Unidade Regional de Imperatriz. Tenho certeza que mais produtores irão procurar a AGED para regularizar a situação e, assim, poderem colocar seus produtos onde antes não podiam, devido às restrições sanitárias”, explicou André Gonçalves. 

O produtor rural Delcio de Assis Castro, que procurou a AGED para implantação do Sistema, está na expectativa de escoar sua produção para outros mercados. “A obtenção do Sistema de Mitigação de Risco para minha propriedade vai me ajudar a colocar a banana que produzo na fazenda em Estados onde eu não consegui colocar, devido às restrições sanitárias impostas. Isso vai fazer com que o meu produto agora agregue valor e eu tenha competitividade no mercado”, disse Delcio de Assis Castro, proprietário da fazenda Bom Futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.