.

Acusado de matar homem a pauladas será julgado em Bacabal

O juiz Marcello Frazão Pereira, titular da 1ª Vara Criminal de Bacabal, vai presidir uma sessão do Tribunal do Júri na próxima semana na unidade judicial. No dia 6 de outubro, será julgado o homem Matheus Martins Coelho. Ele está sendo acusado de ter matado a pauladas a vítima, Gledson de Oliveira, em um crime ocorrido em 6 de agosto de 2017, no termo sede Bacabal. A sessão de julgamento está marcada para as 8h da manhã, no salão do júri do fórum bacabalense.

Narra a denúncia oferecida pelo Ministério Público que, na data acima mencionada, na Vila Frei Solano, o acusado teria, em companhia de uma terceira pessoa, ceifado a vida de Gledson, utilizando-se de um pedaço de madeira. Destaca que o denunciado, na companhia de um primo de nome Patrick Coelho de Sousa, deslocou-se até o endereço da vítima, no citado bairro. Ao chegarem ao endereço de Gledson, Patrick teria ficado na porta, enquanto Matheus entrou na casa para tomar satisfação com a vítima, uma vez que o responsabilizava pelo sumiço de algumas roupas de sua propriedade ocorrido há uma semana.

Após alguns minutos dentro da residência, o acusado teria se armado com um pedaço de madeira, desferindo alguns golpes na cabeça do ofendido, ocasionando graves ferimentos que resultaram na morte de Gledson. Em seguida, utilizando uma motocicleta, o denunciado evadiu-se do local na companhia de Patrick. Devidamente citado, o réu apresentou resposta à acusação, requerendo, de forma genérica, a sua absolvição. Nas audiências de instrução e julgamento foram ouvidas as testemunhas arroladas pela acusação e as demais, trazidas ao processo pela defesa do acusado.

SEM INTENÇÃO

Alega a defesa, de forma subsidiária, a ausência de dolo de tirar a vida, por parte do acusado, requerendo o reconhecimento da lesão corporal. Ainda, o acusado, através do seu defensor, pediu para recorrer em liberdade. “A sentença de pronúncia revela em seu conteúdo intrínseco os elementos essenciais à configuração do juízo de admissibilidade da acusação acerca da existência do crime e de indícios suficientes de autoria, cujas conclusões legitimam a submissão do réu ao julgamento por seu julgador natural, o Tribunal do Júri”, entendeu a Justiça na sentença de pronúncia.

A unidade judicial realiza, ainda, mais duas sessões de julgamento, marcadas para as datas de 20 e 27 de outubro. Os réus serão José Alexandre Rodrigues e Paulo Henrique Freire. Ambos acusados de prática de homicídio.