Zé Inácio lamenta número de mortes por coronavírus no Brasil

O deputado Zé Inácio (PT) foi à tribuna da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (11), para  lamentar e registrar que, no último sábado, dia 8 de agosto, o Brasil alcançou a marca de 100 mil brasileiros mortos, vítimas do coronavírus.

“O consórcio de veículos de imprensa que tem monitorado os casos no Brasil anunciou que chegamos à marca de 100.240 vítimas. Com essa marca, somos o segundo país no mundo em mortes pela doença. Hoje, já temos mais de 101.800 mortes e mais de 3 milhões de infectados.  São números que chamam a atenção de todos nós, brasileiros, e de todo o mundo”, disse.

O parlamentar frisou que o coronavírus, no Brasil, já matou mais do que a gripe espanhola, que a guerra do Paraguai e a guerra do Vietnã,  considerada  uma  das  que mais marcaram a história mundial. “Em  dez  anos  de  guerra, no Vietnã, morreram 59 mil  pessoas e,  no Brasil,  em apenas meses, já são mais de cem mil, entre homens, mulheres, jovens, crianças e idosos,  em sua maioria pobres da periferia e negros que não têm a mesma oportunidade de conseguir  um bom  tratamento”, acrescentou.

Importância do SUS

Zé Inácio destacou a importância do Sistema Único de Saúde (SUS) em meio à pandemia, que muito contribuiu para que centenas de vidas pudessem ser salvas, principalmente os mais pobres e que não dispõem de plano de saúde.

Ele criticou a forma como o governo federal tem tratado a pandemia. “Com um posicionamento negacionista, Jair Bolsonaro não segue as orientações das instituições mundiais de saúde, como a OMS. Além disso, promove aglomerações, mostrando não ter nenhuma  preocupação e responsabilidade no enfrentamento à pandemia”.

E prosseguiu: “O resultado do governo do presidente Jair Bolsonaro está aí: uma tragédia do tamanho do seu desgoverno. Ele não reconhece  a dimensão da pandemia que estamos enfrentando. Ele não tomou as medidas necessárias para fazer o enfrentamento e que pudesse ter evitado tantas vítimas no nosso país. Esse momento é de se lamentar. Dos recursos públicos que o Congresso Nacional aprovou, na ordem de R$ 39 bilhões, para combater o coronavírus, não foram aplicados sequer 30%. Dos 46 milhões de testes para que pudéssemos detectar no Brasil o número de infectados, foram feitos pouco mais de 12 milhões. Uma falta de compromisso com o povo brasileiro. Uma falta de compromisso para com a saúde pública”, disse o deputado.

Minuto de silêncio

Por fim, o parlamentar pediu que fosse feito um minuto de silêncio em memória dos mais de 100 mil brasileiros que perderam a batalha para a Covid-19.  “Senhor presidente, para concluir, eu queria, com a sua permissão e dos demais pares, propor um minuto de silêncio em homenagem aos familiares e às mais de cem mil vítimas da Covid-19. Há um levantamento que diz que das mais de cem mil mortes, aí se envolve de cinco a dez pessoas em cada família. Nós estamos falando de mais de 600 mil pessoas, familiares, entre irmãos, primos, avós, pais, filhos que sofreram e sofrem com esse momento tão doloroso para todos nós”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.