Unidade móvel do Ministério Público recebe demandas da população no Centro

Desde a manhã de terça-feira,19, uma unidade móvel do Ministério Público do Maranhão está instalada na praça João Lisboa, no Centro de São Luís, atendendo a população, recebendo demandas de diversas áreas. No local, estão presentes a Ouvidoria, a Promotoria Distrital da Cidadania – polo Centro, a 3ª Promotoria de Justiça de Defesa da Mulher de São Luís e o Núcleo de Apoio às Vítimas (NAV). A iniciativa faz parte da programação do Mês da Mulher no MPMA.

Também estão prestando atendimento a Ouvidoria da Mulher do Tribunal de Justiça e o Centro Pop da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semcas). A unidade fica no local até o dia 22 de março, sexta.

No primeiro dia, foram registrados 12 atendimentos pela Ouvidoria, nove pela 3ª Promotoria de Justiça de Defesa da Mulher de São Luís, três pela Promotoria Distrital da Cidadania – polo Centro e 10 pelo Núcleo de Apoio às Vítimas (NAV).

“Esse serviço é muito bom, porque está perto da gente. Tem muitas pessoas, principalmente as de baixa renda, que não sabem onde ficam localizados estes órgãos. Então, dessa forma, a gente já recorre ao local certo. É uma iniciativa, uma ajuda muito boa por parte do Poder Público”, disse Francisco Araújo, 53, que veio ao local para tirar documentos.

Opinião semelhante tem Maria Madalena, 54. “Eu acho importante esse atendimento, porque existem muitas mulheres, vítimas de agressões por exemplo, que precisam de ajuda e não vão atrás. Então, elas podem estar aqui de maneira mais fácil, contando o seu caso”, afirmou.

ACOLHIMENTO

Titular da 3ª Promotoria de Justiça de Defesa da Mulher de São Luís, Selma Regina Martins, ressaltou a importância de a unidade se situar no Centro da capital. “O maior número de demandas, principalmente as relativas à proteção da mulher, são de moradores de comunidades do Centro de São Luís”.  

A promotora de justiça igualmente destacou a unidade como espaço de orientação e fonte de informação sobre direitos. “Muitas pessoas chegam aqui mal informadas sobre seus direitos e a gente encaminha para o órgão que tem atribuição sobre a demanda”, disse.

A coordenadora do NAV, Lana Barros Pessoa, explicou que o contato inicial na unidade tem um caráter de acolhimento e orientação, especialmente para as pessoas vítimas de violência. Em seguida, o órgão encaminha para uma audiência em um local adequado e reservado, no qual a pessoa terá um acompanhamento especializado e sigiloso. “Nós estamos preenchendo as fichas primeiramente e depois encaminhamos a pessoa para o atendimento, de fato, com a equipe multidisciplinar do NAV”, frisou a promotora de justiça.

Titular da Promotoria Distrital da Cidadania – polo Centro, Marco Aurélio Ramos Fonseca ressaltou que a atividade da unidade móvel está em conformidade com o planejamento da instituição. “Nós estamos prestando atendimento na região do Centro com dignidade e qualidade e a população tem buscado a nossa orientação”, enfatizou.