TJMA faz plantio de ipês no Fórum pelo Dia da Árvore

O Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) realizou solenidade na área externa do Fórum de São Luís com o plantio de ipês amarelos em comemoração ao Dia da Árvore e em alusão à campanha de combate ao suicídio (Setembro Amarelo), nesta segunda-feira, 21. Na oportunidade, foram distribuídas 200 sementes de ipês amarelos que foram plantadas pelos presentes na solenidade.

O presidente do TJMA, desembargador Lourival Serejo falou que a plantação desses ipês amarelos é a contribuição para um Brasil de futuro incerto, quando se analisa a conjuntura política atual. “A nação está ardendo de incertezas. Talvez seja até nosso protesto, nossa inconformação, mas, também, nossa mensagem de paz, porque a árvore sempre traz essa ideia de paz, de oxigenação”, disse. Em seguida, reprisou uma metáfora do passarinho e o incêndio da floresta.

Comentou, ainda, que esse simbolismo é que justifica o encontro realizado hoje no Fórum de São Luís, essa tomada de consciência. “No momento em que os políticos estão vendo, passíveis, o Brasil ardendo em chamas. Esse momento aqui tem um significado muito grande para nós, como brasileiros, tomarmos essa consciência. E a nossa contribuição no Dia da Árvore não poderia ser melhor do que plantar árvore”, finalizou desembargador Lourival Serejo.

O presidente também destacou o empenho de instalar a energia solar nas unidades judiciais de todo o Estado do Maranhão, que vai resultar numa grande economia para o Poder Judiciário estadual. 

O presidente da Comissão Gestora do Plano de Logística Sustentável, desembargador Jorge Rachid, agradeceu o apoio que o presidente do TJMA,  desembargador Lourival Serejo vem dando à sustentabilidade, ao Núcleo Socioambiental do TJMA. “O presidente atendendo nosso convite, veio até o Fórum para a plantação de vários ipês amarelos – que trazem energias positivas – e alertar servidores e magistrados da importância desse dia e da árvore para o ser humano”, explicou.

Na oportunidade citou a reflexão do astrofísico canadense Hubert Reeves.: “O homem é a mais insana das espécies. Adora um Deus invisível e mata a natureza visível… sem perceber que a natureza que ele mata é esse Deus invisível que ele adora”.

O vice-presidente do TJMA, desembargador José Bernardo Rodrigues disse que o ato de plantar uma árvore é um ato divino, é cuidar da natureza da vida. É reconhecer a força maior que é Deus.  

Já o corregedor-geral da Justiça, desembargador Paulo Velten falou da simbologia dessa cerimônia, nesse dia tão importante para a natureza, para o mundo, para a civilização que é o Dia da Árvore. Falou que o Núcleo Socioambiental dirigido pelo desembargador Jorge Rachid tem um trabalho importantíssimo de conscientização ambiental, que aliás, é um dos objetivos de desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 da ONU.

“Então nós, membros do Poder Judiciário devemos estar imbuídos desse mesmo espírito. A causa, portanto, é a causa da humanidade, a causa dos direitos humanos, o Tribunal de Justiça e a Corregedoria, portanto, apoiam”, comentou. 

A abertura foi feita pela diretora do fórum de São Luís, juíza Andrea Furtado Perlmutter Lago que falou do interesse de colocar o Fórum dentro do polo de sustentabilidade, tanto do TJMA quanto do Conselho Nacional de Justiça, daí a importância de cultivar ações voltadas para o meio ambiente.

Participaram da solenidade magistrados, diretores e servidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.