Projeto Esquina da Arte leva cultura e artesanato para frente da Prefeitura de São Luís

Incentivo à economia criativa, com geração de renda e valorização da cultura local por meio do empreededorismo, foram alguns dos objetivos da 25a edição do projeto Esquina da Arte que ocorreu nesta sexta-feira (6), em frente à sede da Prefeitura de São Luís. O evento, prestgiado pelo prefeito Eduardo Braide, teve o apoio da Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), e reuniu cerca de 50 artesãos e mais de 60 expositores. 

“Estamos felizes em trazer para a frente da Prefeitura uma iniciativa que estimula a economia criativa, que reúne cultura, artesanato, música, gastronomia. Ver tantos produtos bonitos, criativos, feitos por nossos artesãos nos enche de orgulho. Parabéns aos organizadores e aos artistas”, disse o prefeito Eduardo Braide.

Com bancas montadas na Praça Pedro II, o Esquina da Arte teve em sua programação, além de artesanato, música, literatura, teatro, gastronomia e design. Na programação musical se apresentaram no palco montado em frente ao Palácio La Ravardière, o grupo de chorinho Cantinho do Choro, o Coral Municipal de São Luís e os violonistas Monteiro Júnior e Biné do Cavaco.

Produtos como cestaria, costura criativa, pintura artística em porcelana, pequenos objetos de madeira, crochê e outras peças estiveram expostos nas barracas e chamaram a atenção dos consumidores presentes no local.

Quem foi ao evento, aprovou a inciativa. “Achei tudo lindo, e ainda mais com esse cenário maravilhoso, em frente à Prefeitura. Os expositores estão de parabéns e a Prefeitura também por incentivar o projeto”, disse a advogada Betânia Lima, que foi ao evento com o filho, Theo, de 5 anos. 

“Produtos de muita qualidade, bem-feitos. Acho que esse tipo de iniciativa combina muito com nosso Centro Histórico e espero que ocorra mais vezes”, destacou o funcionário público, Juan Almada.

Entre os expositores, o clima foi de entusiasmo não apenas pela oportunidade de venda dos produtos, mas, principalmente, por poderem apresentar para o público suas criações. 

Este foi o caso da artesã Graça Parga. “Expor nossos produtos aqui é muito bom, porque é uma vitrine, um reconhecimento do nosso trabalho, uma oportunidade de mostrar para o público o que fazemos”, observou a expositores que está no projeto desde sua criação.

Há pouco tempo no projeto Esquina da Arte, a artesã Érika Renata Martins, que trabalha com costura criativa, mudou-se de São Paulo para São Luís há 10 meses. “Vejo esta iniciativa de forma muito positiva, pois para nós que trabalhamos com arte e artesanato, ter este contato com o público, mesmo que não se reverta em vendas é muito importante porque divulgamos nosso trabalho. É o famoso boca a boca”, frisou. 

Desde que foi criado, em 2014, pela dentista e designer Liana Piorski, o projeto já contou com a presença de 600 expositores e mais de 200 artesãos. Atualmente, tem cadastrado mais de 200 artesãos e três instituições que trabalham com pessoas em situação de vulnerabilidade: Casa Acolher, Humasol e Instituto Emília Feliz.

“Além de incentivar a economia criativa, o projeto Esquina da Arte também embeleza nossa cidade, que tem um cenário que combina com tudo isso: música, arte, artesanato e tudo isso na porta da Prefeitura”, destacou o secretário municipal Cultura, Marco Duailibe.

Ao longo do tempo, o projeto Esquina da Arte já ocupou diversos espaços da capital maranhense, como os bairros Ponta d’Areira, Alto do Calhau, entre outros. Esta é a primeira vez que foi montado em frente ao Palácio La Ravardière.

Uma das organizadoras do Esquina da Arte, Tati Estrela, fez um balanço positivo do projeto e destacou a parceria com a Prefeitura de São Luís. “Estamos muito felizes com esta nova parceria, pela primeira vez estamos trazendo o projeto para este espaço e isto só nos motiva a continuar”, contou.

Estiveram presentes ao evento, a vice-prefeita Esmênia Miranda, o subprefeito do Centro, Maurício Itapary e o secretário Octávio Soares (Semad).