Profissionais do Centro de Hemodiálise em Pinheiro confirmam importância do equipamento para a região

“A Baixada está tendo um ganho muito grande com a abertura do Centro de Hemodiálise. A gente que atua na linha de frente sabe do sofrimento dos pacientes dialíticos”, contou a enfermeira e coordenadora de hemodiálise, Maria de Lourdes dos Santos Oliveira, sobre o equipamento entregue a pouco mais de uma semana pelo Governo do Estado. Assim como ela, profissionais de saúde que acompanham os pacientes no tratamento confirmam a importância do centro para a população da Baixada Maranhense.

Cerca de 100 pessoas trabalham no Centro de Hemodiálise de Pinheiro. “Todos nós realizamos um sonho, sonho este que beneficia todos os pacientes da região. Essa, sem dúvida, é uma conquista enorme para todos nós”, reforçou a biomédica e diretora do Centro de Hemodiálise, Iasmym Cordeiro.

Para o maqueiro Leonardo José Sá Durans, de 22 anos, natural de Pinheiro, o equipamento é uma oportunidade de ajudar a quem precisa. “Eu sempre desejei fazer algo por alguém que precisasse muito de ajuda. Ser maqueiro foi um meio que encontrei de poder tornar isso possível. Com certeza será muito gratificante e por isso eu farei o meu melhor”, compartilhou.

O Centro de Hemodiálise em Pinheiro foi entregue no dia 4 de agosto e foi planejado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) para desenvolver a missão de cuidar dos pacientes renais da região, reduzindo o deslocamento dos mesmos até outras cidades para acesso ao tratamento.

“O serviço recebe pacientes já assistidos no Macrorregional de Pinheiro, pacientes dialíticos da região e, ainda, aqueles que precisavam ir para outras localidades do estado, principalmente São Luís. O espaço atende pacientes renais, sejam eles crônicos ou portadores de doenças renais agudas”, disse o secretário adjunto de Atenção em Saúde da SES, Carlos Vinicius Ribeiro.

Na estrutura do centro, são oferecidos também serviços de triagem, bem como assistência ambulatorial e consultas com nutricionista. O espaço é administrado pelo Instituto Acqua e conta com 40 cadeiras e capacidade para até 240 atendimentos por mês, em um funcionamento de três turnos. Atualmente, o centro atende os 54 pacientes que eram atendidos no Hospital Macrorregional da Baixada Dr. Jackson Lago e na próxima semana começará a receber pacientes regulados pelos municípios da região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.