Profissionais da Policlínica Diamante plantam mudas e promovem roda de conversa em alusão ao Setembro Amarelo

Em alusão ao Setembro Amarelo, a Policlínica Diamante realizou uma programação especial com seus colaboradores. As atividades tiveram início logo na entrada da unidade, onde os profissionais vestidos de amarelo realizaram a plantação de mudas. Na unidade, a ação encerra a programação da Campanha Setembro Amarelo, que trata sobre prevenção à automutilação e ao suicídio. A Policlínica Diamante integra a rede estadual de saúde.

“Plantar as mudinhas tem o significado de gerar vida. O sentido é cuidar de quem cuida dos nossos pacientes”, explicou a diretora da unidade de saúde, Ana Carolina Marques.
Em todos os setores do hospital, os profissionais de saúde participaram também de uma roda de conversa sobre qualidade de vida e sobre o tema da campanha Setembro Amarelo. A programação foi fracionada por departamentos, para não atrapalhar o funcionamento da unidade de saúde e não causar aglomeração. 

“O tema saúde mental é de extrema importância. Este ano, focamos também nos profissionais de saúde devido a pandemia. Foi um público que sofreu muito, teve uma sobrecarga de trabalho, uma pressão psicológica muito grande. E na Policlínica Diamante a gente vai dispor do atendimento dos nossos psicólogos para avaliar como estão os nossos profissionais, se tem alguém que precisa de acompanhamento. Não somente neste mês, mas vamos dar continuidade”, informou Ana Carolina Marques.

O psicólogo da unidade, Miguel Filho, conduziu a roda de conversa e aplicou com os profissionais um questionário sobre estresse e sintomas. “Temos a proposta de trabalhar a qualidade de vida do profissional de saúde. Nos últimos anos, foram registrados muitos casos de suicídios entre profissionais da saúde. Atentando para isso e em sintonia com a rede de saúde mental do estado, queremos sensibilizar os profissionais para dar uma parada, se escutar, avaliar esse nível de estresse e, se preciso, ser tratado aqui mesmo”, esclareceu.

Uma das participantes da roda de conversa foi a enfermeira Raylena Martins da Costa. Ela diz que a profissão já acumula vários fatores estressores e que a iniciativa da policlínica foi importante para que os profissionais se sentissem acolhidos neste momento delicado de pandemia.

“Eu acho fundamental cuidar da saúde do profissional. Precisamos ser cuidados também, para oferecer uma assistência ainda mais digna e de qualidade para o paciente. Essas práticas de enfrentamento de estresse são importantes para que a gente se sinta bem fisicamente e emocionalmente para desenvolver nossas atividades laborais”, finalizou Raylena.

A Policlínica Diamante é uma das cinco policlínicas implantadas pela gestão estadual este ano, e é gerenciada pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.