.

Primeiro dia do Enem impresso e Digital é hoje (21)

Os 3,1 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 — versões impressa e digital — poderão acessar os locais de prova, neste domingo, 21 de novembro, a partir das 12h (horário de Brasília). O acesso ao ambiente de aplicação do exame será encerrado às 13h, com o fechamento dos portões. O início da aplicação ocorrerá às 13h30 e o encerramento, às 19h. Os participantes que solicitaram tempo adicional e tiveram o pedido aprovado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) terão uma hora a mais para concluir as provas.

Os participantes que apresentaram sintomas de covid-19 na semana que antecedeu a aplicação ou no dia do exame não devem comparecer ao local de provas. Esses participantes devem solicitar reaplicação do Enem, no período de 29 de novembro a 3 de dezembro, pela Página do Participante. A mesma orientação serve para quem está com alguma das outras doenças infectocontagiosas listadas no edital do exame.

Cartão de confirmação – Informações como horário e local de aplicação das provas podem ser conferidas por meio do Cartão de Confirmação de Inscrição, disponível na Página do Participante. O acesso ao documento se dá pelo login único e a senha gerados no portal do Governo Federal (gov.br). Caso o participante já tenha o cadastro, mas perdeu a senha ou não lembra, é possível recuperá-la.

O documento também apresenta número de inscrição do participante, orientações para a realização do exame, bem como atendimentos, caso a solicitação tenha sido feita e aprovada. Embora não seja obrigatório, o Inep orienta que o participante leve o cartão no dia da prova.

Documentação — Para acessar a sala de aplicação, é obrigatória a apresentação da via original de documento de identificação oficial com foto, como cédulas de identidade expedidas por secretarias de Segurança Pública, polícias Militar e Federal ou pelas Forças Armadas. Também será aceita identidade expedida pelo Ministério da Justiça para estrangeiros, inclusive no caso de reconhecidos como refugiados.

Carteira de Registro Nacional Migratório, prevista na Lei de Migração, e o Documento Provisório de Registro Nacional Migratório, do qual trata o Decreto n.º 9.277, de 5 de fevereiro de 2018, também estão entre a documentação válida para identificação. A identificação fornecida por ordens ou conselhos de classes e que, por lei, tenha validade como documento de identidade poderá ser utilizada para identificar o participante. Além disso, passaporte e Carteira Nacional de Habilitação (CNH, na forma da Lei nº. 9.503, de 23 de setembro de 1997) também são válidos, assim como a Carteira de Trabalho e Previdência Social (impressa e expedida após 27 de janeiro de 1997).

Provas – Neste domingo (21), os participantes terão cinco horas e 30 minutos para realizarem provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação, ciências humanas e suas tecnologias, além da língua estrangeira (inglês ou espanhol) escolhida na inscrição. Já as provas de ciências da natureza e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias serão aplicadas no próximo domingo, 28 de novembro.

Caneta – A prova deve ser respondida com caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente. Os participantes que solicitaram atendimento especializado para transtorno do espectro autista e que tiveram o pedido aprovado pelo Inep poderão utilizar caneta fabricada em material transparente com tinta colorida, para uso exclusivo em marcações em seu Caderno de Questões. Contudo, o Cartão-Resposta desses estudantes também deve ser preenchido com caneta de tinta preta.

No momento da aplicação, não será permitido o uso de qualquer objeto eletrônico. O participante deverá guardar esses materiais, desligados, no envelope porta-objetos, antes de entrar na sala de prova. O envelope deve ser mantido debaixo da carteira, lacrado e identificado, por toda a permanência do estudante no local de provas.

Ao ingressar na sala, também devem ser guardados no envelope: óculos escuros e artigos de chapelaria (boné, chapéu, viseira, gorro ou similares); caneta de material não transparente ou qualquer outro material de papelaria; protetor auricular; relógio e quaisquer dispositivos eletrônicos, como telefones celulares, smartphones, tablets e quaisquer outros materiais estranhos à realização do exame.

Medidas sanitárias – Os participantes devem se apresentar ao local de aplicação das provas utilizando máscara de proteção à covid-19 e permanecer com ela durante toda a aplicação do exame. O uso da proteção facial é obrigatório, desde a entrada até a saída do local de provas, exceto para os participantes com transtorno do espectro autista, deficiência intelectual ou sensorial, conforme previsto na Lei n.º 14.019, de 2 de julho de 2020.

Será permitido ao participante levar máscara extra, frasco de álcool, luvas e garrafa de água para consumo. Os itens serão vistoriados por aplicadores fiscais, respeitando os protocolos de prevenção à covid-19.

Segunda aplicação – Os participantes isentos que não compareceram ao Enem 2020 e que tiveram nova oportunidade de se inscrever para a edição 2021, no período de 14 a 26 de setembro, farão o Enem nos dias 9 e 16 de janeiro de 2022. A aplicação será nas mesmas datas do exame para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL). O cartão de confirmação para essa aplicação será disponibilizado em data mais próxima à realização do exame, a ser divulgada.

Enem – O Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica. Ao longo de mais de duas décadas de existência, tornou-se uma das principais portas de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (ProUni), ambas ações do Ministério da Educação (MEC).

Instituições de ensino públicas e privadas utilizam o Enem para selecionar estudantes. Os resultados são usados como critério único ou complementar dos processos seletivos, além de servirem de parâmetros para acesso a auxílios governamentais, como o proporcionado pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Os resultados individuais do Enem também podem ser usados nos processos seletivos de instituições portuguesas que possuem convênio com o Inep para aceitarem as notas do exame. Os acordos garantem acesso facilitado às notas dos estudantes brasileiros interessados em cursar a educação superior em Portugal.