Prefeitura abre programação na passarela com desfiles de blocos tradicionais e escolas de samba do Carnaval de São Luís 2024

A Prefeitura de São Luís abriu com chave de ouro a programação da Passarela do Samba Chico Coimbra, na noite desta sexta-feira (23), com o desfile de sete blocos tradicionais e cinco escolas de samba. A grande festa no Anel Viário, que contou com a presença maciça do público, terá continuidade neste sábado (24), a partir das 16h30, quando desfilarão oito blocos tradicionais e cinco escolas de samba. Os ingressos podem ser retirados no local, a partir das 16h.

A abertura dos desfiles da Passarela contou com a presença do prefeito Eduardo Braide, acompanhado da primeira-dama, Graziela Braide; da vice-prefeita, Esmênia Miranda, e do secretário municipal de Cultura, Maurício Itapary. “Hoje, damos início aos desfiles dos blocos tradicionais e escolas de samba com muita alegria e uma grande adesão do público, que veio prestigiar as nossas agremiações. E a festa apenas começou, pois continuamos neste sábado (24) e domingo (25), sempre com muito entusiasmo e alegria”, disse o prefeito Eduardo Braide, que prestigiou a passagem das escolas pela passarela.

O secretário municipal de Cultura, Maurício Itapary, ressaltou que a Prefeitura abriu o Carnaval de passarela recebendo os blocos tradicionais com muito orgulho, uma vez que eles passam o ano inteiro se preparando para esse momento e merecem essa festa. “Além deles, recebemos as escolas de samba, que também se preparam para fazer uma grande apresentação, coroando a nossa programação de folia, que começou na Cidade do Carnaval, com muito sucesso, e tem continuidade até domingo aqui na passarela do samba”, disse Maurício Itapary.

A programação começou cedo, por volta das 16h, com a apresentação do grupo Amigos do Samba, que fez o esquenta para a passagem dos blocos tradicionais e das escolas. Abrindo os desfiles, o bloco Os Gigantes deu as boas-vindas ao público e entrou com o pé direito na avenida. Em seguida, foi a vez do Magnatas Show, fundado no Bairro de Fátima, que este ano fez uma homenagem ao comunicador Chacrinha.

O terceiro bloco a desfilar na passarela do samba foi Show Feras, fundado recentemente. Com 100 componentes, o bloco levou para a avenida as cores azul e branco, em reverência à Iemanjá. Quem deu sequência às apresentações foi Os Diplomáticos, seguido por Os Apaixonados, Vinagreira Show e Alegria do Ritmo.

“Eu acho lindo os blocos tradicionais. É algo que a gente só vê aqui em São Luís, uma tradição nossa, que não pode morrer. Considero muito importante a Prefeitura de São Luís, mais uma vez, abrir este espaço aqui para que os grupos se apresentem”, disse a professora Maristela Silva.

Assistindo de camarote, Ana Amélia Batista elogiou o evento. “Que bom que tudo deu certo, apesar do adiamento dos desfiles. O importante é que estamos aqui honrando a tradição dos blocos, um ritmo que só existe no Maranhão, e também das escolas de samba”, disse ela, que é ex-baliza de bloco tradicional.

Escolas de samba

Por volta das 22h, o público que lotava as arquibancadas e camarotes começou a aplaudir as escolas de samba. A primeira foi a Turma do Quinto, fundada na Madre Deus, sendo a terceira mais antiga do Maranhão. A agremiação sacudiu o público presente com o samba-enredo em homenagem ao cantor e compositor Josias Sobrinho, que desfilou no penúltimo carro-alegórico. 

Uma das alas trazia vários artistas e personalidades da cultura maranhense. “Que linda festa para esse grande artista maranhense, que merece todas essas honras carnavalescas. É uma alegria muito grande desfilar para ele”, disse o produtor cultural, compositor e poeta José Pereira Godão.

Após a Turma do Quinto, entrou a Unidos de Fátima, fundada no Bairro de Fátima, que levou o enredo “A celebração da cultura negra no quilombo de Fátima – Viva Antônio de Paulo – mestre da artesania”. A Turma de mangueira foi a terceira a cruzar a Passarela do Samba Chico Coimbra, com o enredo “Entrelaçando o destino: as mãos que moldam a vida e tecem emoções”, convidando o público a refletir sobre como as mãos são ferramentas poderosas para forjar o caminho e impactar o mundo ao redor. O casal de mestre sala e porta bandeira, Jadson Martins e Auricèlia Coqueiro deram um show à parte.

A penúltima agremiação da noite de abertura foi a Marambaia, fundada no Bairro de Fátima, que abordou o tema “Fé e Devoção. Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge Guerreiro”. A comissão de frente agradou a plateia e recebeu aplausos.

A Flor do Samba encerrou a primeira noite de festa, com o samba-enredo “Maranhão à Mesa: Heranças de Sabores”. No ano passado, a escola originária do bairro Desterro dividiu o título de campeã com a Favela do Samba. A passagem da escola contagiou a plateia pela batida forte da bateria e cadência do samba-enredo. Quem desfilava, mostrou entusiamo. “Viemos para ganhar e não poupamos energia e nem entusiasmo. Viva a Flor e salve o Desterro”, contou Gregório Ribeiro, que desfilou em uma das alas.

A festa na Passarela do Samba Chico Coimbra segue neste sábado (24). Veja a programação.

16h30 – Samba de Reis

18h – Blocos Tradicionais do Grupo B

Os Diferenciados

Renovação do Ritmo

Companhia do Ritmo

Os Gladiadores

Os Vingadores

Tradicionais do Ritmo

Gaviões do Ritmo

Os Curingas

22h – Escolas de Samba

Mocidade da Ilha

Unidos de Fátima

Terrestre do Samba

Império Serrano

Favela do Samba

AMANHÃ – DOMINGO

16h30 – Samba da Tamarineira

18h – Blocos Tradicionais do Grupo A

APAE

Dragões da Liberdade

Os Trapalhões

Os Guardiões

Os Guerreiros

Os Fanáticos

Tropicais do Ritmo

Os Imbatíveis

Reis da Liberdade

Kambalacho do Ritmo

Os Foliões

Indomáveis Show

Os Vampiros

Os Brasinhas

Os Tremendões

Originais do Ritmo

Príncipe de Roma