Pré-Vestibular Gonçalves Dias transmite live show com professores de Atualidades e Redação

Os estudantes em preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já sabem que aos sábados têm um encontro marcado com as lives do Pré-Vestibular Gonçalves Dias. Agora tem novidades: os aulões serão transmitidos pelo canal YouTube do Pré-Vestibular, com a participação professores renomados do Maranhão e de outros estados do país, trazendo dicas importantes de conteúdos exigidos no Exame e outros vestibulares. A estreia no novo canal ficou por conta dos professores Rafael Carlos (Sociologia) e Lízia Adriane (Redação), que, neste sábado (23), ministraram um aulão show, abordando a era da informação e a crise do conhecimento.

A cada semana, o Pré-Vestibular Gonçalves Dias contará com a participação de professores com vasta experiência, trazendo conteúdos específicos para auxiliar os estudantes durante a sua preparação para o Enem. Alunos dos diversos municípios do Maranhão acompanharam a Live deste sábado, que contou também com a participação de pessoas de outras localidades, como Bahia, Minas Gerais, Piauí, entre outros.

“Continuem. O projeto é lindo. Estão de parabéns. Graças a todos os envolvidos. Muitos estudantes carentes, que estariam em profunda desvantagem, em relação aos que possuem recursos para a preparação, podem disputar, em igualdade, uma vaga no Enem deste ano. O Cursinho Gonçalves Dias é muito melhor que muitas plataformas caríssimas que encontramos na internet, professores incríveis”, expressou o estudante Júlio Cesár.

Ericeira Neto, do município de Açailândia, parabenizou a iniciativa da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) pela realização dos aulões. “Parabéns pela iniciativa, vai ajudar muitos alunos e quem tiver interesse em aprender mais”, exprimiu.

Adeilton Nadson Mariano elogiou a iniciativa do Governo no uso de estratégias para auxiliar na educação dos estudantes. “Parabéns ao melhor secretário de Educação do Brasil, Felipe Camarão. Parabéns ao melhor Governador do Brasil, Flávio Dino. Um Maranhão melhor e cada vez mais forte. Excelente projeto da Seduc. Aproveitem bastante, queridos estudantes”, parabenizou.

No início da Live, o professor Rafael Carlos destacou que todas as disciplinas podem e devem trabalhar de maneira interdisciplinar, fortalecendo a integração de várias ciências, e afirmou que ao estabelecer relações com outros componentes curriculares, os estudantes melhoraram o aprendizado e ampliaram os saberes sobre um mesmo tema.

“As diversas áreas de conhecimento têm tudo a ver com a Redação, porque quando você constrói uma dissertação, tem que fundamentar teoricamente aquele tema, e é aí que entra a Sociologia, Filosofia, História, Geografia, Literatura, como parte da fundamentação do que será dissertado. Então, estamos aqui para dialogar com a professora Lízia para que a gente traga informações que possam ajudar o estudante a construir um melhor texto possível”, ressaltou.

Sobre o tema do aulão, o professor Rafael Carlos fez ainda algumas considerações importantes acerca de informação e conhecimento. “Vivemos em uma época onde existe um verdadeiro banquete de informações ao nosso dispor, só que ao mesmo tempo a gente parece não ter a capacidade de absorvê-las e transformar essas informações, em algo que seja realmente consistente. As informações precisam ser absorvidas, problematizadas, para que de fato se transformem em conhecimento. Então, conhecimento, gradativamente, em relação à informação está um nível acima”, explicou.

A professora Lízia Adriane fez uma abordagem sobre o texto dissertativo e trouxe informações sobre causa, consequência e destacou, entre outras coisas, o que o Enem exigirá sobre a proposta interventiva do estudante na construção de sua redação.

“O Inep exige agora que toda proposta interventiva tenha que responder, obrigatoriamente, as seguintes perguntas: o quê (que é a própria solução); quem (quem vai solucionar, qual é a função de quem soluciona); como (qual a estratégia, de que forma será solucionado); por que (o efeito dessa medida como solução da problemática). Esses aspectos da proposta de intervenção precisam ser observados na hora da construção do texto dissertativo”, explicou.