Ponta da Madeira (MA) recebeu pela primeira vez navio com velas rígidas para o transporte de minério de ferro

A nova tecnologia melhora a eficiência e reduz as emissões de carbono. O Berge Olympus poupa cerca de 6 toneladas de combustível por dia numa rota média mundial e, no processo, reduzirá as emissões de CO2 em aproximadamente 19,5 toneladas por dia.

O Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, em São Luís (MA), recebeu neste fim de semana o navio Berge Olympus, um graneleiro Newcastlemax adaptado e equipado com quatro velas rígidas, conhecidas como BARTech WindWings. As velas utilizam energia eólica para reduzir o consumo de combustível e as emissões de CO2. Cada vela instalada tem uma envergadura aerodinâmica de 37,5 metros de altura e 20 metros de largura. O Berge Olympus poupa cerca de 6 toneladas de combustível por dia numa rota média mundial e, no processo, reduz as emissões de CO2 em aproximadamente 19,5 toneladas por dia. Ontem, 17, a embarcação seguiu para o porto de Qingguji, na China. A viagem deve levar cerca de 46 dias.

Futuro da navegação

A Vale está comprometida em apoiar a indústria marítima para atingir as metas de descarbonização da Organização Marítima Internacional (IMO). O programa Ecoshipping, criado pela empresa para apoiar a indústria de navegação a reduzir suas emissões, está realizando estudos abrangentes para receber em seus portos embarcações com diferentes configurações de velas. Aspectos de manobra, amarração e carregamento são avaliados para que toda a operação seja realizada sem interrupções, garantindo o alto desempenho de seus portos.

O projeto do Berge Olympus foi desenvolvido pela Berge Bulk, armador contratado pela Vale para o transporte de minério, que está investindo fortemente na incorporação de eficiência de ponta e inovação ambiental no transporte marítimo. A instalação da WindWings faz parte da ambição da Berge Bulk de se tornar neutra em carbono até 2025.