O Maranhense|Notícias do Estado do Maranhão

Podcast Sexlog ultrapassa a marca de 1 milhão de espectadores

É inegável que os podcasts tornaram-se extremamente populares nos últimos dois anos. Seja para ouvir assuntos e notícias do cotidiano ou amenidades, o formato conquistou o público por ser versátil e alcançar certa profundidade nos debates. Dentro deste universo, o Podcast Sexlog, produto da maior rede social de relacionamentos liberais do Brasil, ganhou destaque: ultrapassou a marca de 1 milhão de ouvintes e para registrar esse acontecimento tão importante, a plataforma revelou dados que detalham o perfil dos ouvintes e seus hábitos. 

Lançado em fevereiro de 2020, o podcast já conta com 85 episódios, que alcançaram a marca de 1,1 milhão de streams e 1,2 milhão de ouvintes, sendo 41% mulheres e 55% homens. Alcançando públicos fora do país, os programas também fazem sucesso em Portugal, Japão e Estados Unidos. 

A pesquisa divulgada pelo Sexlog revela, também, algumas preferências do seu público. Por exemplo, 73% preferem curtir os contos eróticos em casa, contra apenas 10% que escutam durante o trabalho, ambas as opções com fones de ouvido. Com relação à frequência, 42% consomem os contos casualmente, apenas quando sentem vontade e 30% ouvem as histórias todos os dias. Os temas favoritos são divididos em três categorias: swing (46%), histórias de corno (44%) e sexo em situações inesperadas (41%). 

Entre os episódios mais escutados estão: “Transei com o amigo do meu marido”, “ASMR: Alô, aqui é o prazer” e “ASMR: Punheta guiada”. Vale ressaltar, também, que o Podcast Sexlog também aparece na 38° posição dos Top 100 na categoria Sociedade e Cultura. 

Os dados obtidos pelo Sexlog revelam que mais da metade dos ouvintes (57%) prefere histórias em que as mulheres são protagonistas, já 43% não têm preferência quanto a esse detalhe. A maioria esmagadora (80%) prefere tramas realistas, enquanto 70% apoiam enredos que foquem mais no sexo do que na história, e 60% curtem narrativas curtas e intensas. 

Quando o assunto é o que não pode faltar em um conto erótico, as principais respostas dos ouvintes são:  

“Para ser perfeito não pode parecer inventado, quanto mais autêntico mais excitante.”

“Fantasias e situações inusitadas” 

“Detalhes de como foi acontecendo cada situação!!”

“A voz de tesão contando”

Para a CMO do Sexlog, Mayumi Sato, a aposta no formato foi certeira.  “Observamos a tendência do podcast e a ideia não poderia ter surgido em um momento mais oportuno: em março de 2020, a pandemia chegou ao Brasil e as pessoas começaram a buscar mais fontes para se distrair. Nossas histórias são baseadas em situações reais, vividas pela comunidade Sexlog. Os relatos são enviados e adaptados para o formato de áudio. Além de entreter, são uma ótima fonte de informação sobre os desejos e as fantasias realizadas por muita gente por aí.”

Histórico de crescimento favorável marca a trajetória do site

A plataforma teve que se adaptar à nova realidade e às mudanças de comportamento ocasionadas pela pandemia. Investiu, por exemplo, no aprimoramento de Inteligências Artificiais que buscam inibir os cadastros de pessoas mal intencionadas, e liberaram recursos exclusivos de assinantes para toda a base, como vídeos e livecams. Tudo isso gerou saldos muito positivos.  

Só em 2020, o Sexlog registrou um faturamento 25% em relação ao ano anterior, e um crescimento de 40% no número de novos assinantes, ultrapassando a marca de 100 mil pessoas que pagam para ter acesso ao conteúdo mais exclusivo. Portanto, o podcast também foi uma maneira de se reinventar para alcançar mais público. 

Sobre o Sexlog

O Sexlog.com é a maior rede social de sexo e swing do Brasil, com mais de 15 milhões de usuários cadastrados. São milhares de fotos e vídeos reais publicados por dia, todos com conteúdo amador. Trocas de mensagens, convites para encontros e divulgação de eventos também fazem parte da rede, que visa proporcionar prazer para pessoas solteiras e casadas que buscam novidades na cama.