Pesquisa destaca países com melhores sistemas de saúde

Uma nova pesquisa elencou alguns dos melhores sistemas de saúde no mundo. Apesar de não ser um estudo muito abrangente, ele ajuda a demonstrar quais são as iniciativas que devem ser incentivadas para promover uma melhor saúde e percepção entre os cidadãos.

O estudo da Commonwealth Foundation analisou o funcionamento dos sistemas de saúde de onze nações: Austrália, Canadá, França, Alemanha, Países Baixos, Nova Zelândia, Noruega, Suécia, Suíça, Reino Unido e Estados Unidos.

A Noruega, os Países Baixos e a Austrália foram classificados como os melhores sistemas de saúde do mundo, segundo um relatório da Commonwealth Foundation, sediada nos Estados Unidos. O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido ocupava a primeira posição na lista do relatório anterior, que havia sido divulgado em 2017, mas desde então caiu algumas posições, chegando ao quarto lugar.

Enquanto isso, o sistema de saúde dos Estados Unidos permaneceu na última posição, uma posição que ocupa desde a primeira avaliação em 2004.

Insights do relatório

No geral, os países que se destacam em desempenho são aqueles que conseguiram reduzir os custos dos cuidados de saúde para os pacientes. O relatório destaca as medidas adotadas pela Noruega e Suíça para limitar os custos diretos, além da decisão da Alemanha em 2013 de eliminar as taxas para consultas médicas.

Na categoria de eficiência administrativa, os países que buscam tornar a saúde mais acessível, seja através de serviços gratuitos, como no Reino Unido, ou simplificando e limitando os custos do seguro saúde, como na Suíça, obtiveram pontuações mais altas.

A Noruega e os Países Baixos foram elogiados pela rapidez no acesso aos cuidados de saúde. O estudo destacou exemplos de políticas de saúde eficazes, como a Lei dos Direitos do Paciente na Noruega, que garante atendimento em prazos específicos, e a exigência nos Países Baixos de que os médicos forneçam um mínimo de 50 horas de atendimento pós-expediente anualmente para manterem suas licenças.

Embora o sistema de saúde do Reino Unido ofereça cuidados universais e majoritariamente gratuitos para os pacientes, os longos tempos de espera por tratamentos prejudicaram sua pontuação. Além disso, o estudo revelou um aumento na disparidade de acesso aos cuidados de saúde entre ricos e pobres no Reino Unido, o que contribuiu para sua queda do primeiro para o quarto lugar no ranking.
Boa formação além da medicina, como a faculdade de odontologia, psicologia e outras especialidades da saúde, também podem influenciar. Afinal, é muito importante que os pacientes sejam atendidos por profissionais bem capacitados em suas respectivas áreas do conhecimento.