Municípios maranhenses recebem cartilha informativa sobre queimadas

A campanha Maranhão Sem Queimadas prossegue com a distribuição da cartilha Programa Agricultura Familiar Sem Queimadas, O material educativo traz informações sobre queimadas, formas de prevenção e ações corretas para evitar acidentes. Produzida pelo Governo do Estado, por meio da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp), a cartilha é voltada a comunidades produtoras.

Mirador foi a primeira cidade a receber as cartilhas, alcançando cerca de 200 produtores familiares. A cidade está entre as mapeadas com focos de queimada em área de reserva. O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) coordena a campanha, atuando na contenção do fogo no local e em outras áreas com ocorrências. Balsas é outra região onde foram identificadas queimadas e também alvo de monitoramento. 

“Esse importante material educativo e de orientação, representa um instrumento de diálogo com os produtores e apresenta o programa Agricultura Familiar Sem Queimadas. De forma prática, o material traz técnicas de baixo impacto para o solo, incentivando a agricultura sustentável e integrada aos princípios agroecológicos. Com esta cartilha, queremos mostra que existem alternativas viáveis para o meio ambiente e que promovem harmonia entre o homem e a natureza”, pontuou presidente da Agerp, Loroana Coutinho de Santana.

A cartilha traz informações sobre os tipos de focos de fogo, orientações da promoção de ações sem riscos, dicas de como prevenir acidentes com fogo e pontos do programa Agricultura Familiar Sem Queimadas. O agricultor vai aprender tecnologias para reduzir queimadas que podem ser usadas em diversos cultivos (feijão, mandioca, milho, macaxeira); programas como Quintais Florestais e Agroquintais, na criação de animais e cultivos de produtos anuais; e ainda a Roça Agroecológica, para culturas temporárias.  

O material apresenta outras alternativas como a criação racional de abelhas produtoras de mel, o sistema de plantio direto e contatos de bases da Agerp em todo o Maranhão. Todo o conteúdo é ricamente ilustrado e as informações repassadas em texto acessível e objetivo para a aplicação prática e imediada do produtor. Em 2019, cerca de quatro mil cartilhas foram distribuídas nos municípios maranhenses. 

Segundo o CBMMA, a maior parte das queimadas no Estado é causada pela ação humana, em queima irregular de terrenos com fins de plantio. A estiagem, quando há pouca ou nenhuma chuva, é outra causa comum destas ocorrências. O Instituto de Terras do Maranhão (Iterma) e a Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) também participam da elaboração do material.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.