.

MPMA, GOB e APJ alertam para exploração sexual infantil na internet

O Ministério Público do Maranhão, por meio do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude, coordenado pelo promotor de justiça Gleudson Malheiros; o Grande Oriente do Brasil (GOB) e a Ação Paramaçônica Juvenil (APJ) estão realizando uma campanha online para alertar pais, responsáveis a sociedade em geral para o número crescente de casos de exploração sexual infantil em redes sociais e jogos online no Brasil e no Maranhão.

O compartilhamento, produção e armazenamento desse tipo de conteúdo são crimes previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O abusador que induzir a criança ou o adolescente a fazer algum ato sexual pela internet, em caso de condenação, pode pegar de 4 a 8 anos de prisão. Os casos mais comuns são de pedófilos que pedem esse tipo de conteúdo, foto ou vídeo, para as vítimas, por meio de perfis fakes em jogos online e redes sociais.

Nos últimos anos, houve um aumento dessa prática criminosa principalmente em decorrência da pandemia da Covid-19, que resultou em um tempo maior de utilização da internet por crianças e adolescentes. Redação: CCOM-MPMA com informações da assessoria do GOB