.

Maranhão vai implantar mais duas unidades da Casa da Mulher

O Governo do Estado vai reforçar a política de acolhimento e proteção à mulher vítima de violência, com a ampliação da rede de atendimento. Serão implantadas mais duas unidades da Casa da Mulher Maranhense, nos municípios de Caxias e Chapadinha. Será disponibilizado atendimento humanizado e especializado às mulheres vítimas de violência, incluindo procedimentos legais, medidas protetivas e, se necessário, punição do agressor. As unidades são coordenadas pela Secretaria de Estado da Mulher (SEMU). 

“Os dados da violência contra as mulheres no Brasil só têm aumentado. No Maranhão, o Governo do Estado tem investido fortemente para diminuir os índices e ainda promover a segurança às mulheres. A implantação de mais estas duas unidades é a garantia da ampliação da política estadual de atenção à mulher no estado, com a oferta de serviços especializados que promovem sua proteção e lhes garante direitos, sobretudo, o direito de viver”, enfatiza a secretária da SEMU, Célia Salazar.

As unidades de Caxias e Chapadinha contarão, em sua estrutura, com recepção, sala de acolhimento, espaço da Delegacia da Mulher, salas de audiência, sala de atendimento especializado da Defensoria Pública, alojamento de passagem, área administrativa, cozinha, banheiros, entre outras dependências.

Na série de serviços ofertados nas novas casas estarão incluídos indicação para inserção no Aluguel Social Maria da Penha; atendimento psicossocial; palestras informativas; capacitações e oficinas diversas com foco no empoderamento das mulheres. Esta rede de atendimento conta ainda com vários órgãos de proteção e justiça, a exemplo da Delegacia da Mulher, Defensoria Pública e a Vara Especializada em Violência contra a Mulher. 

O Maranhão é o único estado a oferecer esses serviços de atendimento e proteção à mulher em situação de violência, em mais de um município e com utilização de recursos próprios. Com mais essas duas casas, passarão a somar quatro unidades especializadas em atendimento às mulheres em situação de violência”, pontua Célia Salazar. Há a Casa da Mulher Brasileira, em São Luís, e a Casa da Mulher Maranhense, em Imperatriz.

A previsão é que a unidade de Caxias seja inaugurada até o fim deste ano. A unidade de Chapadinha está na fase de estudo técnico. Outra Casa da Mulher Brasileira está em processo de elaboração para ser instalada em São José de Ribamar.

Resultados

Em São Luís, a Casa da Mulher Brasileira contabiliza mais de 100 mil atendimentos; a Casa da Mulher Maranhense, de Imperatriz, já realizou mais de três mil atendimentos, desde sua implantação. Houve ainda, ampliação do número de medidas protetivas e redução do tempo para emissão destas medidas. 

“Pelo fato de todos os órgãos estarem juntos, em um mesmo espaço, garante agilidade e maior êxito no atendimento aos casos. Quanto aos dados, estes significam muito, em se tratando do atendimento e acolhimento às mulheres em situação de violência, com serviços específicos nessa pauta”, avalia Célia Salazar.