Maranhão incentiva safra recorde de algodão

Na manhã desta terça-feira (24), as secretarias de Estado de Indústria, Comércio e Energia (Seinc); de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e de Infraestrutura (Sinfra), representando o governador Flávio Dino, participaram do encerramento da colheita recorde do algodão, no município de Tasso Fragoso.

Uma das vistorias ocorreu na fazenda do Grupo SLC, que fatura R$ 300 milhões por ano com produções de algodão, soja, milho e gado, com custo anual de manutenção de R$ 220 milhões por ano, empregando 240 pessoas (de forma direta).

De acordo com dados recentes do 11º levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) sobre a colheita de grãos na safra 2020/21, o Maranhão esteve entre os estados que apresentaram alta na produção de algodão na Região Nordeste.

“As lavouras [no Maranhão] estão em variadas fases fenológicas, dentro do ciclo, tendo muitas delas já em plena maturação e colheita”, destaca a Conab.

Para o secretário Simplício Araújo, os incentivos dados pelo Governo do Estado têm resultado nestes números positivos das safras em todo o Maranhão.

“Esse é o Maranhão que atua com o apoio do governo Flávio Dino. Iremos alinhar para que a gente possa ter o processamento desse algodão e possamos, na verticalização, gerar ainda mais empregos no Estado”, disse o secretário.

Em reunião com empresários locais, o secretário destacou, ainda, a parceria entre os produtores e o Governo do Estado, pontuando o diálogo e a transparência constantes.

Mais produção

Na safra 2020/21, o Maranhão apresentou aumento de 5,7% na comparação com a produção da safra 2019/20, segundo o Conab. A colheita no estado apresentou estimativa de 5,919 milhões de toneladas, contra 5,600 milhões da safra anterior.

O aumento colocou o Maranhão como o segundo melhor do Nordeste e em primeiro lugar entre o polo produtor do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). Outro destaque do estado foi o aumento na área plantada.