Mais de 4 milhões de brasileiros não têm banheiro em casa

Ter um banheiro dentro de casa é um sonho distante para muitos brasileiros. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que cerca de 3 milhões de brasileiros na zona rural ainda não possuem banheiros. Nas zonas urbanas o cenário não é diferente. Mais de 1 milhão de pessoas vive na mesma situação.

No Maranhão, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio de 2017 (PNAD), mostrou que mais da metade dos municípios maranhenses não tinham fossas ligadas à rede de esgoto e só na capital, o índice chegava à 28%. 

Dona Antônia Olindinda, moradora do bairro do Coroadinho em São Luís, conhece bem os desafios da falta de um banheiro adequado. Sem condições financeiras para construir um banheiro, a idosa de 68 anos tinha apenas um vaso sanitário cercado por paredes que há alguns anos caíram e as necessidades precisavam ser feitas ao ar livre, sem qualquer privacidade. “Os homens usavam o banheiro da casa do vizinho, já eu esperava anoitecer para ir ao banheiro improvisado e, às vezes, era obrigada a colocar um pano no portão para ninguém ver”, lembra a aposentada. 

Se antes Dona Antônia enfrentava dificuldades para construir o banheiro, hoje a idosa comemora a construção do novo cômodo dentro de casa. “Estou muito feliz. Agora não preciso mais ter medo de me expor no quintal, posso receber visitas em minha casa e ter qualidade de vida”, afirma a aposentada.

A família da Dona Antônia Olindinda está entre as 1.476 famílias já beneficiadas pelo programa Ceape Sanear, criado pelo Centro de Apoio aos Pequenos Empreendimentos (Ceape). O programa tem como finalidade melhorar a qualidade de vida da população brasileira através do saneamento básico. “Com ele as pessoas podem obter uma linha de crédito para reformar ou construir um banheiro, poço artesiano, fossa séptica, cisterna ou até mesmo melhorar a qualidade da água que consome”, explica Nathalia Pereira, coordenadora do Ceape Sanear.

Criado a partir do convênio com a Water.org – organização americana e sem fins lucrativos – o programa atende pessoas de baixa renda. “Quase metade da população brasileira ainda não têm coleta de esgoto e 35 milhões de brasileiros ainda não possuem água tratada em casa. Quando vimos os dados estatísticos alarmantes decidimos ajudar essas pessoas oferecendo não somente o crédito, mas dignidade”, revela Nathalia Pereira.

Como funciona o crédito?

O Ceape Sanear oferece crédito mais acessível para famílias que têm a necessidade de melhorar as condições de saneamento em suas residências, atendendo a alguns critérios. “O valor da parcela não pode exceder  30% do valor da renda líquida. Além disso, não pode haver restrições no SPC e Serasa; no caso de empreendedores, é preciso ter avalista e a atividade deve estar ativa há, no mínimo, seis meses, possuindo capacidade de pagamento comprovada. Se for dupla ou grupo não necessita de avalista; o cliente não-empreendedor pode ter emprego com carteira assinada (período mínimo de seis meses), ser servidor público aposentado ou não, ter contrato de prestação de serviços (em vigor), ser aposentado pelo INSS ou pensionista vitalicio”, esclarece.

A solicitação do crédito pode ser feita por telefone. “Basta entrar em contato pelo número 0800 885 0135 que a central repassará para o assessor da área. O atendimento é realizado em até 72 horas e a ligação é gratuita”, explica Fernando Coelho, gerente de Marketing e Relacionamento do Ceape Sanear.

Quanto ao valor do crédito, varia de R$ 500 a R$ 10.000, sendo liberado conforme a capacidade de pagamento do cliente. O crédito também pode ser  parcelado de 3 a 24 vezes e  renovado de acordo a necessidade de cada cliente. 

Benefícios

Num país onde quase 100 milhões não têm acesso à coleta de esgoto, como aponta  o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento, o projeto Ceape Sanear é uma esperança para quem precisa. 

Maria do Rosário que o diga. A dona de casa, que mora na cidade de Santa Inês, passou boa parte da vida sem um banheiro dentro de casa. Por anos, a saída encontrada foi um banheiro coberto por palhas e lonas no meio do quintal. “Sempre sonhei em ter um banheiro na minha casa, mas não tive condições de comprar todo o material e ainda pagar a mão-de-obra. Graças ao programa, agora tenho um banheiro dentro de casa que tem pia, sanitário e até revestimento de cerâmica”, comemora a dona de casa.
Foi para ajudar pessoas como a Dona Maria que o programa surgiu. “Contribuímos levando também para as comunidades conscientização sobre a importância de investir em saúde, orientação sobre os benefícios do saneamento básico, cuidados com a caixa d’água, fossa séptica, poço artesiano, além de informações sobre doenças transmitidas pela falta de saneamento adequado”, pontua Fernando Coelho. “Quando não há acesso à água tratada, coleta de lixo ou tratamento de esgoto, a população fica exposta a diversos vírus e bactérias transmissores de doenças, por esse motivo é tão necessário investir no saneamento básico. Mais do que crédito, com o projeto Sanear ajudamos a resgatar a dignidade de milhares de famílias”, completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.