Gratidão e emoção marcam divulgação dos aprovados no Projeto Dança Criança, da Escola de Ballet Olinda Saul

“Plié, jeté, frappé”. Passos comuns do Ballet clássico, farão parte do dia a dia de 190 novos alunos da Escola de Ballet Olinda, contemplados com o projeto Dança Criança para alunos da Rede Pública de Ensino do Maranhão. O projeto, que nasceu em 1985 junto com a escola e já formou muitos profissionais de dança que atuam no Maranhão e em outras companhias de dança pelo país, proporcionará aulas totalmente gratuitas para meninas e meninos durante seis anos que valerá como formação profissional para futuros bailarinos.

Os selecionados iniciarão as aulas dia 07 de agosto e terão como aprimoramento técnicas de ballet clássico e contemporâneo, entre outras artes. “Fazer um trabalho sólido, que impõe respeito é a minha meta desde 1985 quando inaugurei minha escola de ballet. Passamos 33 anos seguindo com muita disciplina na formação de bailarinos em São Luís do Maranhão e hoje subimos mais um degrau, consolidando com esses novos alunos e conquistando a confiança dos nossos patrocinadores. Tenho certeza que será um grande sucesso”, destacou Olinda Saul, diretora e idealizadora do projeto.

Determinação

Garra e muita empolgação marcaram as audições. Com mais de 600 inscritos, as audições duraram três dias com técnicas e atividades de dança que incluíam o ballet clássico e contemporâneo e que foram conduzidas pela maestra Olinda Saul e a professora de Ballet Mirelle Cardoso. Participaram dos testes crianças e adolescentes de toda capital, incluindo interior do Estado. Paula Juliana, 16 anos, era pura determinação. A jovem sempre sonhou em ser bailarina e buscou nas audições fazer o seu melhor para garantir sua vaga. “Me sinto muito feliz por essa oportunidade e sei que é tão raro esse tipo de atitude, por isso me dediquei ao máximo para garantir minha aprovação. Fico sem palavras para agradecer pelo incentivo do Projeto Dança Criança”, relatou Paula.

Entre os garotos, a disputa foi bastante acirrada. Candidatos com potencial e habilidades motoras deixaram os jurados impressionados e indecisos com a decisão.   Carlos Eduardo, 16 anos, mostrou todo seu potencial para bailarino e garantiu a vaga para formação profissional na escola. “Estou realizando um sonho em ser integrante do Ballet Olinda Saul. Obrigado pela oportunidade”, disse Carlos emocionado ao receber o diploma de aprovação.

O projeto Dança Criança também visa a inclusão de alunos com necessidades especiais, onde acredita que com a dança possibilitará trabalhar aspectos como a musicalização, socialização, conhecimento da atividade em si, consciência corporal, comunicação, bem-estar, entre outros benefícios. Entre os aprovados, estava a pequena Kaellen Moraes Guterres, 13 anos, que possui baixa visão e atraso mental. Para sua mãe a dança irá possibilitar um elo maior de comunicação e habilidades que lhe ajudarão em seu desenvolvimento. “A minha filha ama dança, ouve uma música e não fica parada. Quando soube do projeto, busquei logo a escola para fazer sua inscrição. Tenho certeza que ela irá amar as aulas e além de tudo irá ajudar em seu desenvolvimento”, destacou Roseane Moraes

Este ano, o projeto social Dança Criança conta com o patrocínio do Grupo Mateus, via Lei de Incentivo a Cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.