Governo leva mutirão de cirurgias eletivas para a Baixada Maranhense e intensifica atendimento da população no Maranhão

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), iniciou nova etapa da programação do mutirão de cirurgias eletivas. Serão realizados quase 100 procedimentos cirúrgicos durante o mês de junho, no Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago e o Centro de Hemodiálise, localizados no município de Pinheiro.

Nesta etapa, em Pinheiro, a SES contabilizou 40 cirurgias de hérnia inguinal, umbilical e epigástrica, cirurgia de vesícula e inserção de fístulas arteriovenosas (FAV). Os procedimentos tiveram início quinta-feira (8) e prosseguiram até domingo (11), no Hospital Regional e no Centro de Hemodiálise de Pinheiro. O objetivo é acelerar a realização das cirurgias eletivas. 

A diretora geral do Hospital Regional de Pinheiro, Ana Cláudia Carvalho, ressaltou a importância dos procedimentos para população. “Tirar um paciente da espera é garantir qualidade de vida e diminuir o risco de outras morbidades e complicações. Além de promover um atendimento público de qualidade, que é a missão do Sistema Único de Saúde. A infecção por catéter, por exemplo, é um risco alto e a fístula oferece uma segurança a mais no tratamento dialítico” pontuou.

As cirurgias são de média complexidade e os pacientes têm alta em até dois dias de internação, como explicou a coordenadora do centro cirúrgico do hospital, Ana Patrícia Monteiro Martins. “São procedimentos rápidos de até 30 minutos. O paciente dá entrada, faz a profilaxia e depois da cirurgia precisa ficar em observação nesse prazo”, disse.

José Raimundo Monteiro Soares, de 62 anos, foi um dos pacientes atendidos durante a ação. “Eu tenho essa hérnia há muito tempo e tenho sentido muita dor. Quero logo fazer essa cirurgia e ficar bem de saúde. É minha primeira vez sendo atendido aqui e se Deus quiser vai dar tudo certo”, contou.

No Centro de Hemodiálise, os pacientes chegaram na sexta-feira (9) e foram avaliados pelo nefrologista. A instalação da fístula possibilita um maior fluxo sanguíneo da veia que permite às paredes do vaso ficarem mais fortes e resistentes e com o fluxo sanguíneo mais rápido para a realização das punções a cada sessão de hemodiálise.

Adeiane dos Anjos Ferraz, de 33 anos, foi uma das pacientes atendidas. Desde abril ela passou a ser acompanhada pela equipe do Centro de Hemodiálise. Ela se tornou paciente dialítica em dezembro do ano passado. “Venho três vezes na semana aqui. Essa fístula vai fazer eu tirar o catéter do pescoço, que me incomoda muito”, expicou.

Assistência de qualidade

O Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago e o Centro de Hemodiálise, localizadas em Pinheiro, ampliaram os serviços de saúde na região. As unidades da rede da Secretaria de Estado da Saúde (SES) são gerenciadas pelo Instituto Acqua.

O Hospital Jackson Lago realizou 4.025.744 atendimentos em 5 anos, nas especialidades de cirurgia geral, clínica médica, gastroenterologia, mastologia, nefrologia, neurocirurgia, ortopedia e traumatologia, pediatria, urologia e vascular, além de exames em análises clínicas, utrassonografia, tomografia, eletrocardiograma, mamografia, radiologia, oftalmologia, endoscopia e ecocardiograma.

O Centro de Hemodiálise de Pinheiro atende 240 pacientes semanalmente. Em pouco mais de dois anos foram 907.937 atendimentos gerais e 71.050 sessões diálise realizadas.