Governo lança Protocolos na Atenção Primária voltados para tratamento da Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial Sistêmica

O Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), fez o lançamento, nesta quarta-feira (22) dos “Protocolos na Atenção Primária: Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial Sistêmica”. A cerimônia obedeceu às medidas de distanciamento social adotadas, sendo realizada por videoconferência através da plataforma da UemaNet. 

Participaram da solenidade on-line a secretária Adjunta de Políticas de Atenção Primária e Vigilância em Saúde, Waldeise Pereira; o superintendente de Atenção Primária, Márcio Menezes; a chefe de Departamento, Claudiana Miranda Cordeiro; além de 40 profissionais de saúde municipais. 

“Os hipertensos e diabetes são pacientes que precisam de atenção, mapeamento e atendimento especial, principalmente no cenário pandêmico onde eles foram a principal preocupação. Com os protocolos, o profissional da Atenção Básica estará munido de um passo a passo que facilitará e dinamizará o cuidado realizado”, disse a secretária adjunta da SAPAVS/SES, Waldeise Pereira. 

A iniciativa tem como objetivo fortalecer a Atenção Primária, garantindo o acolhimento, diagnóstico, tratamento e acompanhamento continuado mediante capacitação dos profissionais. Os “Protocolos na Atenção Primária: Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial Sistêmica” são instrumentos para os profissionais da APS, condizentes com a realidade vivenciada no Sistema Único de Saúde. 

No Maranhão, a iniciativa servirá de aparelho a todos os profissionais envolvidos no âmbito assistencial, estimulando medidas de prevenção e vinculação dos portadores de Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus às Unidades Básicas de Saúde (UBS). 

De acordo com a chefe do Departamento de Atenção à Saúde do Adulto e Idoso (DASAI/SES), Claudiana Miranda Cordeiro, trata-se de um documento que contém todas as informações necessárias para prestar um atendimento eficiente. “Quando pensamos o protocolo, idealizamos algo que fosse capaz de atender todos os profissionais, desde os médicos, aos técnicos e enfermeiros. Nós produzimos o material em dois tamanhos: um para ser utilizado em casa ou na mesa dos consultórios, e outro portátil para guardar no bolso”, pontuou. 

Segundo o superintendente de Atenção Primária, Márcio Menezes, é um grande passo que está sendo dado para a saúde pública no Maranhão. “O protocolo servirá para tratar essas pessoas, evitando agravos de forma mais direta e humanizada. Além disso, a iniciativa influenciará na mudança de hábitos e comportamentos, consequentemente na qualidade de vida”, pontuou. 

Presente na cerimônia de abertura, o presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Maranhão (COSEMS), Vinícius Araújo, afirmou que com o protocolo, os coordenadores poderão ser multiplicadores de conhecimento. “Tudo começa na Atenção Básica. Efetivando a nossa forma de atendimento, com certeza iremos evitar que os pacientes precisem da rede especializada devido os agravos que podem ser evitados, tais como amputação, infartos, entre outros males e complicações”, destacou. 

No Maranhão os pacientes diabéticos e hipertensos são acompanhados pelos municípios, por intermédio das Unidades Básicas de Saúde (UBS), cabendo a estes organizar suas estratégias para cadastro e acompanhamento dos pacientes. Dessa maneira, a SES trabalha com base na estratificação de risco realizada, que dará base do quantitativo de indivíduos com as respectivas comorbidades em cada município no estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.