Governo entregará R$ 1 bilhão em obras de infraestrutura até o fim deste ano

O secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, informou que as obras em infraestrutura que serão entregues até o fim deste ano somam aproximadamente R$ 1 bilhão. As entregas abrangem desde mobilidade – com rodovias e pontes – até as áreas da saúde e educação. A informação foi dada em uma entrevista de rádio na manhã desta quarta-feira (4).

Clayton Noleto destacou que estes investimentos mostram a dinamicidade da gestão Flávio Dino para levar melhores condições de vida à população. “As ações do Governo do Estado mostram que somos uma gestão em constante movimento. Executamos essa quantidade de obras mesmo em meio a crises. Trabalhamos com planejamento e correta aplicação dos recursos. Nós não politizamos e nem ideologizamos obras. Nós queremos é o resultado”, afirmou.

Em relação às rodovias, são R$ 152 milhões de investimentos sendo executados, distribuídos em 42 operações que estão em expansão contínua. Entre as que recebem investimentos está a MA-119, de Santa Luzia a Altamira. São 39 km que recebem melhoramento, pavimentação completa e vão contribuir para mais crescimento econômico e social da região. Será inaugurada também a restauração da MA-026, no trecho entre Codó e Dom Pedro.

Na parte de rodovias, a MA-006, no sul do estado, passa por uma reconstrução em mais de 200 quilômetros, abrangendo os trechos de Balsas e Tasso Fragoso, de Grajaú e Arame e de Arame a Buriticupu. A iniciativa melhora a integração do norte ao sul do país para assim facilitar o escoamento da produção agrícola do Maranhão para outros países. Na mesma região, a MA-007 também recebe melhorias na pavimentação.

Na saúde, o destaque é o Hospital da Ilha, que vai prestar atendimento de urgência e emergência. Serão beneficiados os pacientes da Região Metropolitana de São Luís e do entorno. Na primeira fase, 212 leitos serão abertos, com potencial para até 400, expandindo a possibilidade de prestação de serviço.

Há ainda a construção do hospital de urgência e emergência de Imperatriz, ao lado do Macrorregional Drª Ruth Noleto, formando um complexo de saúde. Serão 17 mil metros quadrados de área construída, em um terreno de 62 mil metros quadrados, o que possibilita uma futura expansão, caso haja necessidade. A unidade vai dispor de uma estrutura moderna composta por 131 leitos, sendo 120 de enfermaria e 11 de UTI, 24 salas de observação, duas de medicação e de coletas – sendo metade para atendimento de crianças e a outra metade para adultos -, sala de sutura, de imobilização, sete de cirurgia, duas de raio x e uma de tomografia, colaborando para desafogar o atendimento do Hospital Municipal de Imperatriz.

Na lista de investimentos a serem entregues também estão as unidades do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA). As unidades de Amarante e Santa Luzia foram concluídas e devem ser inauguradas em breve. Além delas, existem mais 10 obras do IEMA em execução. As unidades possuem espaços amplos, compostos por laboratórios com equipamentos modernos, quadras e bibliotecas. Estruturas que possibilitam aos jovens e adultos acesso à educação formal e técnica de qualidade, oferecida gratuitamente.

O secretário citou, ainda, a ponte sobre o Rio Pericumã, uma das obras de engenharia mais complexas do Maranhão. Ligando as cidades de Central e Bequimão, obra que será um marco na história da região por interligar o litoral ocidental à capital e fortalecer o desenvolvimento. Cerca de 90% dos blocos já foram instalados e está em andamento a instalação das vigas e a construção dos acessos à ponte.

Rodovias federais

Noleto falou ainda da preocupação com as rodovias federais que passam pelo Maranhão. “Essas estradas cortam o território do Maranhão e temos acompanhado a situação, assim como acompanhamos as estaduais também, e não temos tido manutenção devido à ausência de recursos, segundo o DNIT. E a interligação é feita pelas BRs. As rodovias são complementares, como se fossem vicinais. Por isso reiteramos nosso pedido de ajuda”, explicou. Segundo o secretário, a ideia é fazer uma parceria com o governo federal para garantir a trafegabilidade dessas vias durante o período chuvoso.