Governo coordena frente de trabalho para instalação da indústria Inpasa em Balsas

O Governo do Maranhão, através da Secretaria de Indústria e Comércio (Seinc), coordena uma frente de trabalho composta por demais secretarias e órgãos do Estado, entidades de ensino técnico e instituições do Sistema S, com o intuito de auxiliar no processo de instalação da indústria Inpasa Brasil, no município de Balsas, no sul do Maranhão. 

Anunciada em outubro do ano passado pelo governador Carlos Brandão, a empresa que é líder em transformação de cereais em energias limpas e renováveis da América Latina, está em processo de construção e, somente nessa fase, criará 2.500 postos de emprego, injetando uma considerável quantidade de vagas de trabalho e renda no município de Balsas.

O secretário de Indústria e Comércio, Júnior Marreca, explicou sobre o apoio do Governo do Maranhão a empresas que se instalam no estado. “É importante compreender que uma empresa do porte da Inpasa, ao se instalar, necessita de uma rede para que seja viável o funcionamento do negócio, o que inclui desde serviços até comércio. Por essa razão, por determinação do governador Carlos Brandão, montamos um plano de trabalho para que, com o suporte dos nossos parceiros públicos e privados, possamos entregar a indústrias como a Inpasa o que elas precisam ao chegarem no Maranhão, desde a mão de obra até o banco de fornecedores”, comentou o secretário. 

O resultado do diálogo entre as instituições foi a criação de dois grupos de trabalho, que desde dezembro do ano passado, realizam capacitações e executam ações em atenção às demandas que surgem a cada etapa da instalação da indústria. 

Formação de mão de obra

Diante da altíssima demanda por profissionais, a Seinc, em parceria com a Secretaria de Estado do Trabalho e Economia Solidária (Setres), o Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do (Iema), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), viabiliza capacitações e cursos de formação a partir da necessidade de profissionais para atuação na empresa. 

Serão ofertadas mais de 1.940 vagas para formação em cursos como operador de máquinas pesadas, mecânico de máquinas industriais, eletricista industrial, entre outros. O Sistema Nacional de Emprego (Sine) também participa da frente trabalho, intermediando as vagas abertas na Inpasa com o banco de dados das instituições de formação. 

No último mês de janeiro, a Seinc buscou junto à direção nacional do Senat, em Brasília, a instalação de um simulador de formação de motoristas para capacitação em massa desse tipo de profissional na região. A expectativa é que, em operação, cerca de 500 caminhões transitem diariamente escoando a produção da indústria. O Governo também solicitou a criação de uma unidade do Senat na região para atender a demanda de formação de novos profissionais. 

Cadeia de fornecedores

O segundo grupo de trabalho em ação na Fase 1 de implantação da Inpasa versa sobre a formação de um banco de fornecedores aptos a atenderem às necessidades da indústria, que vão de produtos à bens e serviços. São parceiros do Governo do Estado, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema) e a Prefeitura de Balsas. 

Também em janeiro, técnicos das três instituições estiveram em Mato Grosso do Sul cumprindo agenda para conhecer mecanismos que facilitem a inserção de negócios locais em cadeias de grandes empresas. O Sebrae Maranhão, em parceria com o Sebrae de Mato Grosso do Sul, trabalha para a consolidação de uma ferramenta similar ao Mapa de Oportunidades, desenvolvido pela instituição no estado e que consiste na identificação de demandas nas grandes empresas e o desenvolvimento da capacidade de atendimento dos pequenos negócios para criação e consolidação de cadeia produtiva.

Atração de investimentos 

A política de atração de investimentos tem sido um dos pilares da gestão Carlos Brandão quando se trata de ações para o futuro do Maranhão, com investimentos vultuosos e parcerias estratégicas, que terão forte impacto para a trajetória de crescimento e prosperidade do estado. 

A partir de políticas de incentivos fiscais, como a Lei 10.690/2017, executada pela Seinc, e da transversalidade entre as secretárias e órgãos de estado, que elimina entraves burocráticos, a gestão vem conseguindo atrair grandes negócios que encontram, para além de um terreno fértil para crescerem suas produções, contribuindo de forma efetiva para o crescimento socioeconômico, estrutura e suporte do governo estadual para que se instalem com celeridade e eficiência.