Estação Conhecimento celebra nove anos contribuindo para a educação em Arari

A Estação Conhecimento (EC) de Arari completa hoje, dia 15 de outubro, 9 anos levando educação, esporte e cultura para crianças e jovens de 6 a 17 anos da rede pública de ensino. A data, em que também se comemora o Dia do Professor, se torna ainda mais significativa quando observado o aumento da nota do Ideb – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica na região, que superou a meta prevista para o ano, alcançando 5,6 na educação dos anos iniciais. A Fundação Vale, idealizadora e mantenedora da Estação Conhecimento, celebra esse resultado, pois implementa projetos educacionais no município. Nessa entrevista com a gerente da Fundação Vale, Pamella De-Cnop, ela nos conta um pouco mais sobre a atuação da EC e dos projetos desenvolvidos pela instituição.

O que é a Estação Conhecimento e como se dá a sua atuação?

A Estação Conhecimento (EC) Arari busca ser reconhecida como um centro de excelência regional de boas práticas com foco no desenvolvimento de pessoas e respeito às vocações produtivas locais. A EC oferece atividades em 3 eixos (educação, cultura e esporte), no turno complementar a escola. Por meio de suas programações, contribui para o desenvolvimento social das comunidades atendidas, tendo como principal público crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. Além disso, uma equipe multidisciplinar faz o acompanhamento psicológico, de serviço social, pedagógico e nutricional. Ao todo, são 5 Estações Conhecimento nos estados do MA, PA, MG e ES,
Estação Conhecimento oferece atividades em 3 eixos (educação, esporte e cultura) para crianças e jovens de 6 a 17 anos

Qual a contribuição da EC para a educação do município?

A EC Arari oferta atividades de auxílio na execução das atividades escolares, nomeado Para Casa, e apoia o processo de letramento e numeramento das crianças e jovens. Essas atividades fazem parte do programa chamado Multiletramentos, que promove o desenvolvimento de práticas pedagógicas inovadoras que permitem aos educandos lidar com diferentes linguagens, tanto nas leituras que fazem de mundo como nas formas de se expressarem. Destaca-se que, para o contexto de Arari, propiciar às crianças e adolescentes acesso à múltiplas linguagens é um caminho fundamental para a superação das vulnerabilidades sociais.

A EC também é conhecida por fomentar práticas esportivas educacionais. Como esse trabalho é desenvolvido?

O programa Esporte Educacional entende o esporte como uma linguagem para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, com foco na inclusão social, permitindo a adaptação de regras, estruturas, espaços e gestos motores de acordo com a realidade das crianças e adolescentes e do território arariense.
Jogos, danças, brincadeiras, expressões corporais, modalidades esportivas, ginásticas e práticas corporais na natureza compõem o itinerário formativo das crianças e adolescentes, que são complementados por festivais, passeios, torneios, palestras e oficinas. As práticas de Esporte Educacional se apropriam de todo o espaço físico da EC além das infraestruturas como campo de futebol, piscinas, academia e campo de areia.
Práticas esportivas transformam vida, promovem inclusão social e desenvolvem indivíduos

O que é realizado no eixo da cultura?

O Programa de Cultura é resultado de uma visão que articula as diferentes linguagens e produções artístico-culturais para promover aprendizagens. Com destaque para a cultura maranhense e arariense, o programa reconhece e valoriza as manifestações locais, como é o caso do bumba boi, tambor de crioula, tambor de mina, cacuriá, dança do caroço, cordão de Reis e as tradicionais festividades juninas. Essas produções culturais estão presentes na vida das crianças, adolescentes e jovens da EC e são experienciadas a partir das histórias, da língua falada, das crenças, danças, vestuários, costumes, por meio da culinária, do artesanato, da literatura, das festas tradicionais, dentre outras expressões.

Entendendo que esses elementos são essenciais para vinculação dos sujeitos com seus territórios, gerando pertencimento e identificação, a EC compreende que é seu papel fomentar que as novas gerações acessem esse repertório, podendo transformá-lo de acordo com as novas realidades e contextos que vivenciam. Também compreende-se ser fundamental poder relacionar esse repertório cultural local com a cultura global, articulando discussões que fortaleçam o olhar crítico e consciente acerca desses fenômenos.

A EC mantém o projeto Arte e Cultura que oferece cursos de formação para jovens em arte cultura e comunicação. Aulas de interpretação, música e teatro fazem parte das atividades. Os participantes também são multiplicadores do conhecimento e realizam oficinas nas comunidades.

Como a comunidade pode usufruir da Estação Conhecimento?

Baseado no conceito de Territórios Educativos a EC instiga a constante troca de experiências e intercâmbios com outras instituições sociais e rede de garantia de direitos de Arari e cidades vizinhas. Essa relação garante que pessoas ligadas a essas instituições também possam conhecer e usufruir pontualmente das ações desenvolvidas pela EC Arari. Um exemplo prático é o Laboratório Maker, baseado na cultura maker, esse espaço é aberto a público não inscrito na EC, mas que tenha interesse em desenvolver alguma ação colaborativa e criativa, utilizando de impressoras 3D, CNC para corte e molduras personalizadas. As parcerias intersetoriais garantem a potencialização dos resultados e irradiam uma cultura de transformação social.
.

Sobre a Vale

A Vale é uma mineradora global que tem como missão transformar recursos naturais em prosperidade e desenvolvimento sustentável. Líder mundial na produção de minério de ferro e níquel, tem sede no Rio de Janeiro e está presente em cinco continentes. Opera sistemas logísticos integrados, com cerca de 2 mil quilômetros de ferrovias, terminais marítimos e 10 portos, entre Brasil, Indonésia, Malásia e Omã. Comprometida com os mais altos níveis de governança, a Vale apoia 52 projetos sociais e culturais em 65 municípios brasileiros, por meio da Fundação Vale, e protege ou ajuda a proteger 8,5 mil km2 de áreas nativas no País.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.