Escola de Cinema do IEMA debate audiovisual maranhense em uma série de lives

Os admiradores da sétima arte agora têm um encontro marcado, uma vez por semana, para matar a saudade do cinema. A ação é realizada pela Escola de Cinema, unidade vocacional do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), e acontece às quintas-feiras, às 19h, no canal do Youtube da escola (Escola de Cinema IEMA).

A série tem o objetivo de propiciar reflexões sobre o cenário do audiovisual maranhense, neste momento de isolamento social, trazendo para o debate um convidado especialista, professores do instituto que tenham afinidades com a área para mediar a conversa, além de alunos e ex-alunos da escola. 

De acordo com a gestora da Escola de Cinema, Monica Rodrigues, é de grande importância debater questões relevantes ao mercado cinematográfico. “As lives têm sido muito produtivas. Na ausência das aulas presenciais, as lives da Escola de Cinema têm sido um local de reencontro e de aprendizagens também. Desde a primeira live, é sempre convidado um aluno da escola pra compor a mesa”, explicou.

A ex-professora da Escola de Cinema, Thaís Lima, classificou as lives como positivas. “Esses diálogos contribuem para que as pessoas agreguem conhecimentos sobre o mercado audiovisual no Maranhão. Essas conversas trazem a linguagem, as questões técnicas, testes e preparação. A Escola está hoje com um grande nível de visibilidade e consolidação”, destacou.

Para Matheus Khrystian, ex-aluno do curso de atuação para cinema, os debates são necessários para o momento de isolamento social. “Participei como convidado e em outras oportunidades como ouvinte e aprendi bastante. Cada live é como uma aula. Tive a oportunidade de conhecer profissionais que não conhecia, trocar experiência, ideias, opiniões. Foi enriquecedor”, contou.

Rayssa Baima, ex-aluna do curso de atuação para cinema, ressaltou que as lives propiciam novas conexões. “Nesse momento em que a indústria audiovisual está praticamente parada, é fundamental trazer esses debates. As lives são ótimas, os temas são muito bem escolhidos e pontuados dentro do que a gente vive aqui em nosso Estado e também no cenário nacional. Com esses encontros ganhamos mais motivação para que a gente não fique parado e a produção audiovisual tenha continuidade”, disse.

Com o início das aulas presenciais, as lives serão substituídas pelo projeto “Memórias do Audiovisual Maranhense”, que inicia no dia 30 de julho. O objetivo da ação é propiciar o registro em audiovisual de histórias narradas por grandes cineastas pioneiros de nosso Estado. A primeira edição terá como convidados: Murilo Santos, Euclides Moreira Neto e Nerine Lobão.

Programação das lives:

09/07 – A força do documentário maranhense; 
16/07 – O processo sonoro e montagem para o cinema; 
23/07 – Direção, Atuação e Produção para o Cinema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.