Empreender: yoga é opção de negócio

A prática de yoga ganhou popularidade em todo o mundo, atraindo adeptos em busca de conscientização corporal e melhoria na qualidade de vida. No Brasil, mantém uma base de seguidores considerável. De acordo com informações compartilhadas pela Summit Saúde, em janeiro deste ano, o número de praticantes da modalidade ultrapassou os 5 milhões no país.

Paralelamente, os brasileiros também têm demonstrado maior interesse pelo empreendedorismo. Segundo o relatório Global Entrepreneurship Monitor (GEM), de 2022, cada vez mais pessoas sonham em ter o seu próprio negócio.

O estudo foi conduzido pelo Sebrae e pela Associação Nacional de Estudos em Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas (Anegepe). Nesta edição, foram entrevistadas duas mil pessoas adultas, com idades entre 18 e 64 anos, juntamente com 52 especialistas.

Os resultados indicam que 67% dos brasileiros adultos estão envolvidos no empreendedorismo. O percentual inclui tanto aqueles que já são proprietários de um empreendimento, quanto os que estão tomando medidas para iniciar o próprio negócio ou têm planos de empreender nos próximos três anos.

Em números, isso significa o total de 93 milhões de adultos, sendo 42 milhões de empreendedores consolidados e outros 51 milhões de potenciais empreendedores.

Nesse contexto, o universo do empreendedorismo encontra uma nova perspectiva. Empreender na área de yoga atende à demanda por práticas de bem-estar, possibilitando a difusão dos benefícios dessa filosofia. Dessa forma, quem se interessa em saber como ser professor de yoga pode embarcar na jornada para se tornar instrutor da prática ancestral e, também, abrir o próprio negócio.

Diferentes vertentes

O yoga é composto por diversas vertentes e tem origem na Índia. Todas elas têm o objetivo central de alcançar o autoconhecimento por meio da harmonia entre mente e corpo.

Seguindo a tendência do universo fitness, as vertentes tradicionais da prática milenar, como hatha, ashtanga, power, iyengar, kundalini, vinyasa e raja, estão sendo mescladas com outras atividades físicas, como ginástica e alongamento, praticadas em escolas e academias. Essa configuração é outro fator que abre portas para os negócios.

A ausência de regulamentação da profissão divide opiniões entre profissionais estabelecidos e entusiastas da prática. Contudo, o caminho para quem deseja ser um instrutor de yoga vai além da formação em Educação Física.

Há muitas pessoas que praticam a modalidade como uma filosofia de vida e decidem se tornar professores para compartilhar seus conhecimentos, enquanto outras optam por frequentar escolas tradicionais de ensino de yoga a fim de se qualificarem como instrutores.

O professor de yoga Leandro Castelo Branco é um exemplo de case. Formado em Publicidade e Propaganda, migrou de área depois de sentir que o formato corporativo de trabalho não era o ideal para ele.

Atualmente, é dono do próprio estúdio e observa que, desde sempre, o local reuniu professores de diferentes vertentes. Essa foi uma característica que contribuiu para a sua formação e conhecimento amplo sobre o yoga.

Segundo ele, o estudo de posturas, meditações e mantras foi relevante para o pontapé inicial e também para a continuidade de sua formação. “O estúdio foi um grande divisor de águas na minha vida, pois o yoga me mostrou que existem diferentes possibilidades de condução para os nossos caminhos, para além de trabalhos tradicionais e corporativos”, afirma.

Com o passar do tempo, Leandro conta que sentiu a necessidade de criar uma metodologia para que outras pessoas também pudessem repassar esses ensinamentos. Agora empreende, também, com a oferta de cursos para formar instrutores.

Mercado nacional é promissor para empreendimentos na área

No Brasil, como o yoga está experimentando um aumento crescente em popularidade, o resultado é a proliferação de estúdios, escolas e instrutores dedicados à prática.

Nas cidades mais populosas, como o Rio de Janeiro, uma vasta gama de opções está disponível. Para aqueles que desejam aprofundar seu conhecimento e se tornar instrutores, existe a oportunidade de participar de um curso professor de yoga no RJ.

Em São Paulo, a mesma tendência se repete, com uma diversidade de locais e instrutores experientes disponíveis para atender às demandas dos praticantes. Aqueles que desejam dar aulas, podem considerar fazer um curso de professor de yoga em SP. Independentemente do local onde os interessados na prática estejam, é provável que encontrem uma comunidade pronta para acolhê-los e orientá-los.

A professora de yoga Patrícia Zillig fala sobre o tema aliado ao empreendedorismo, em seu canal no Youtube. Ela enfatiza aos futuros instrutores que é importante ter a consciência de que toda a dinâmica – desde o momento de divulgação das aulas, passando pela prospecção e fidelização de alunos, até a cobrança de mensalidades – faz parte do empreendedorismo.

Assim, o processo envolve questões relacionadas ao propósito pessoal e profissional de cada um, mas também, aspectos burocráticos que precisam ser planejados e estudados para que a atividade tenha mais chance de sucesso.

Como montar um estúdio de yoga

De acordo com os especialistas, alguns passos essenciais devem ser seguidos para estabelecer um estúdio de yoga de sucesso. O primeiro deles é a localização, que deve priorizar a proximidade com centros comerciais, edifícios empresariais e bairros de classe média.

A estrutura, por sua vez, pode ser relativamente simples, uma sala ampla com iluminação natural, tapetes, sistemas de som básicos, banheiros individuais, armários para objetos pessoais, chuveiros e bebedouros são necessários.

O investimento inicial pode ser, em torno, de R$ 15 mil, dependendo das condições do espaço. Já os custos mensais incluem a contratação de funcionários de limpeza, professores e atendentes, totalizando valores que podem variar de acordo com o tamanho da equipe, carga horária de trabalho e localidade.

Além disso, instrutores de yoga têm a opção de oferecer aulas em sua própria casa, o que pode reduzir os custos operacionais. Também é comum atender alunos em domicílio, proporcionando aulas particulares personalizadas, o que pode ser uma fonte adicional de renda e flexibilidade na agenda. Essas abordagens adaptáveis permitem aos professores ampliar sua clientela e oferecer opções de ensino que atendam às necessidades individuais de seus alunos.