.

Cuidado com máscaras N95 falsificadas: saiba como evitar essa compra

Em apenas um ano e meio, as máscaras de proteção se tornaram o item mais importante na rotina de cuidados com a saúde em meio à pandemia de coronavírus. Escolher uma boa máscara é o ponto chave para não ter problemas na hora de sair de casa. A máscara N95 ou máscara cirúrgica, por exemplo, é a mais usada e se tornou importante na luta contra a Covid-19. Quando utilizadas de maneira correta, a eficácia delas atinge até 95% de proteção. 

No início da pandemia, foi indicado que as máscaras N95 só deveriam ser utilizadas por profissionais de saúde, principalmente por estarem na linha de frente no combate do vírus. Mas, atualmente, as empresas já conseguem ofertar para a população em geral, porém, com a alta demanda é necessário ter cuidados na hora de adquirir o equipamento de proteção. 

A Distrimédica, empresa referência em distribuição de produtos hospitalares, teve um aumento de 320% na procura de máscaras de proteção, principalmente pela internet.  “A procura aumentou significativamente por esses tipos de produtos, principalmente quando vimos a importância e a eficácia deles no combate ao vírus. Mas é preciso ter cuidado na hora da compra, principalmente pela internet. Muitas vezes, as máscaras podem vir falsificadas, diminuindo a eficácia de proteção”, afirma José Maria, Diretor da Distrimédica. 

Como identificar uma máscara falsificada

As máscaras N95 são consideradas um equipamento de proteção individual (EPI), que são reguladas pela Anvisa, que coloca padrões específicos para que realmente sejam de qualidade e ofereçam uma boa proteção. 

Para evitar cair em golpes, algumas práticas devem ser tomadas, como por exemplo prestar atenção na aparência, que muitas vezes pode enganar.  “O produto deve conter a descrição detalhada, informações sobre os vendedores. Ver comentários de outros clientes sobre a qualidade do produto também é uma dica”, explica José Maria. 

Uma das características mais fáceis de identificar se o produto é original é checar se ele possui todas as camadas de proteção. José Maria recomenda que o comprador adquira mais de uma máscara, para que uma delas seja inspecionada por dentro. Ao verificar isso, o usuário deve encontrar 3 camadas de proteção. ” As máscaras oficiais possuem três camadas que são essenciais para uma proteção eficaz, que se caracterizam como externa, uma camada do meio onde possui uma tecnologia filtrante que é a mais importante e que faz a N95 ser tão poderosa na proteção, pois faz uma filtragem eletrostática, ou seja, ela atrai as partículas de saliva, onde pode conter o vírus e faz uma filtragem mais eficiente do que uma máscara de pano comum. E por último, a camada de contato facial fecha o pacote”, esclarece. 

José Maria continua e informa que “além de verificar as camadas internas da máscara, vale observar se o produto possui marcação que indique a aprovação do Inmetro de forma legível. Também fique atento caso tenha enfeites ou adornos no produto, onde, geralmente, são indicativos de falsidade”, finaliza.