Consórcio Brasil Central negocia compra de 28 milhões de doses da vacina Sputnik V

O Consórcio Brasil Central (BrC), integrado pelo Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Maranhão e Rondônia, iniciou há cerca de 20 dias negociações com o Fundo Soberano Russo para compra, sem intermediários, de 28 milhões de doses da vacina Sputnik V, contra a Covid-19. Pioneiro no Brasil, constituído em 2015, com uma população de 26, 2 milhões de habitantes em todo o seu território, o BrC atualmente é presidido pelo governador do DF, Ibaneis Rocha. O secretário executivo é o vice-governador do DF, Paco Britto, que lidera as articulações com o Fundo Russo, com respaldo dos 7 chefes do executivo.

“Estamos bem avançados para concretizar a compra,” informa Paco Britto, acrescentando que já foi inclusive assinada uma Carta de Intenções com o Fundo Russo. O Consócio aguarda a aprovação da Sputnik V pela Anvisa para finalizar a transação e assinar o contrato. No entanto, levando em conta a decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), que trata sobre a importação excepcional e temporária da vacina russa, essa liberação deve ocorrer no prazo de 30 dias, a contar do último dia 29 de março.

Na semana passada, Paco Britto já esteve com o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, alinhando o possível formato que seria adotado para distribuição e aplicação das vacinas para as 7 Unidades da Federação que integram o Consórcio. Em função da cláusula de confidencialidade, prevista na Carta de Intenções assinada com o Fundo Russo, ainda não foram definidas o valor total da compra e nem a data de entrega das vacinas. “Nossa intenção é distribuir 2 milhões de doses para cada consorciado,” adianta.

Fábrica no DF

Os governadores já visitaram a fábrica Bthek Biotecnologia, instalada no pólo de desenvolvimento JK em Santa Maria, onde é produzido o IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) e finalizado o envasamento da Sputnik V. “Temos essa vantagem de ter a Fábrica aqui, o que é um grande diferencial,” pontua Paco Britto. A unidade pertence ao grupo farmacêutico União Química, que se associou ao Fundo Russo para a fabricação do imunizante contra a Covid-19. A produção ainda ocorre para fins de teste-piloto, não em escala industrial e comercial.

Tão logo ocorra a liberação da vacina pela Anvisa, até mesmo pelo cumprimento do prazo estipulado pela STF, o secretário executivo do BrC explica que a Autarquia já estará pronta para fazer a aquisição. “Nosso contato é direto com o Fundo Russo, já garantimos nossa disposição em realizar a compra da Vacina Sputnik V,” comemora Paco Britto.

Compras Compartilhadas

O Consórcio já realiza compra compartilhada de medicamento em escala e alcançou destaque pela sua capacidade de oferecer, além de medicamentos de alto custo (componente Ceaf) com economia média de 30%, equipamentos de EPI e outros itens no combate e prevenção à Covid-19. No ano passado foi constituída Ata de Preços com 63 itens para os medicamentos do componente Ceaf. “Já temos experiência nesse tipo de aquisição,” arremata o secretário executivo, ressaltando a considerável economia para os consorciados e a garantia de pagamento contra entrega para os fornecedores.

Até novembro, efetivaram as compras os estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Também foram realizadas compras emergenciais para combate à Covid-19 para o estado de Mato Grosso do Sul. Encontra-se em curso, para atender DF, MT, MS e TO, pregão no sistema de registro de preços. Serão realizados três pregões para o registro de 62 medicamentos e 14 EPI’s para enfrentamento a Covid-19.

.